FAU Uruguai REVO A-37 KC-130 reabastecimento
Exercício Tanque 2022 marcou a primeira vez que aviões da própria FAU fizeram REVO. Foto: FAU.

Um exercício inédito marcou a primeira vez em que a Força Aérea do Uruguai (FAU) fez um reabastecimento em voo (REVO) com seus próprios aviões. O marco aconteceu durante a operação Tanque 2022 entre os dias 27 de 30 de junho. 

A operação foi realizada nas instalações da II Brigada Aérea, em Durazno, e sobre o espaço aéreo do centro do país. Um KC-130H Hércules do do Esquadrão Aéreo Nº 3 (Transportes) reabasteceu aviões A-37 Dragonfly do Esquadrão Aéreo Nº 2 (Caça). 

Foto: FAU/Divulgação.

Os A-37 Dragonfly da FAU já haviam feito REVO antes, mas com aviões de outros países, como o Brasil. A Tanque 2022 foi a primeira vez que meios 100% uruguaios conduziram esse tipo de missão. 

Os uruguaios ainda contaram com assessoria de pilotos de A-4AR e KC-130H da Força Aérea Argentina. “A referida certificação atende aos requisitos operacionais estabelecidos no manual da OTAN ATP-56C, e foi alcançada graças à instrução e supervisão de pessoal da Força Aérea Argentina”, diz o comunicado da FAU.

Foto: FAU/Divulgação.

“Da mesma forma, foi adquirida a capacidade de reabastecer outras aeronaves de asa fixa ou rotativa em nível internacional, como as que são solicitadas através do Sistema de Cooperação das Forças Aéreas Americanas em diferentes missões, como humanitárias e busca e salvamento.”

O Uruguai recebeu em dezembro de 2020 seus dois primeiros KC-130H, adquiridos dos estoques da Força Aérea da Espanha (Ejercito del Aire). Os aviões também substituirão os antigos C-130B do país, que tem apresentado baixa disponibilidade. 

Foto: FAU/Divulgação.

Também chamado de Super Tweet, o A-37B é um jato de ataque ao solo baseado no Cessna T-37 Tweet de treinamento. A aeronave foi desenvolvida na década de 1960 e possui um par de motores General Electric J85-GE-17A, similares aos usados no caça F-5 mas sem a pós-combustão, portanto mais fracos. 

O A-37 possui três cabides em cada asa para empregar bombas e foguetes, mas é muito mais visto com tanques subalares. O jato também pode empregar metralhadoras GAU-2/B (M134) Minigun calibre 7,62×51 mm, com uma montada no nariz ao lado da sonda de REVO.