Ontem a Copa Airlines apresentou sua nova aeronave, um Boeing 737 MAX 9, modelo de avião que será o pilar da companhia nos próximos anos.

As primeiras rotas deste avião serão entre a Cidade do Panamá para Tampa, Miami, São Francisco e Los Angeles.

O Boeing 737 MAX 9 da Copa Airlines é configurado com 166 assentos em duas classes. Para comparação, um Boeing 737-800 da companhia, que atualmente realiza essas rotas, tem 160 ou 154 assentos em duas classes.

São 16 assentos de Classe Executiva, todos modernizados com 60 polegadas de espaço entre eles, possibilidade de reclinar 180º, um sistema de entretenimento com tela de 16 polegadas, além de tomadas e conectores USB.

Os passageiros da classe executiva receberão kits de amenidade e roupa de cama atualizados.

Para aqueles clientes que gostam de espaço para bagagem de mão, o Boeing 737 MAX 9 pode oferecer 60% mais espaço nos compartimentos acima dos assentos, devido à reformulação baseada no Sky Interior.

O Boeing 737 MAX 9 é maior, mas isso não significou mais assentos, em parte devido à opção da Copa pelos assentos mais confortáveis em Classe Executiva, e a nova Premium Economy.

Ao todo são 24 assentos que oferecem 34 polegadas de espaço entre eles, no demais o serviço é o mesmo da Economy. Nessa Classe o cliente pode optar por comprar o assento do meio, e assim não ir com ninguém do lado.

O entretenimento na Economy Class só estará presente através de Wi-Fi, que se conecta com um sistema On-Demand e transmite em tempo real o conteúdo para o dispositivo do cliente, por isso há portas USB individuais. Pelo menos a companhia se preocupou em colocar um encosto de cabeça em couro e ajustável.

A Copa tem um pedido para 71 aviões da família 737 MAX, para as variantes MAX 8, 9 e 10. O planejamento da companhia é adicionar outros quatro aviões 737 MAX 9 entre outubro e dezembro deste ano, e mais oito aviões do mesmo modelo em 2019. Em 2020 a companhia espera receber mais 9 aviões.

Um atrativo do 737 MAX 9 é a mesma autonomia de voo do irmão menor, o 737 MAX 8. Dessa forma a companhia tem praticamente 1000 quilômetros a mais disponível para voos longos, o que pode até facilitar a abertura de novas rotas, ou a operação de algumas sem a necessidade de escalas não programadas, como os voos para Porto Alegre e Buenos Aires.

A companhia espera que o avião tenha um consumo 14% menor, em comparação com o 737-800.