Em seu perfil oficial no Twitter, a Força Aérea e Espacial da França (Armée de l’Air et de l’Espace) publicou um vídeo onde um caça de ataque ao solo Dassault Mirage 2000D aparece voando baixo e rápido em uma demonstração de força durante uma missão de suporte aéreo à tropas em solo.

No Tweet, a organização explica que o caça pode ser requisitado para realizar uma demonstração de força em suporte aos militares em terra. Na demonstração de força, a aeronave designada para a missão de suporte aéreo aproximado (CAS, na sigla em inglês para Close Air Support) realiza uma passagem em altíssima velocidade e voando à baixa altura para intimidar as forças inimigas. A ideia é mostrar a presença da aeronave de forma agressiva, como um último passo antes do real engajamento com bombas e outras armas. 

A Força Aérea também afirma que o caça veio da Base Aérea de Niamei, na capital do Níger. A Base Aérienne 101 Niamey divide instalações com o Aeroporto Interacional Diori Hamani, que serve à capital nigerina, e recebe múltiplas aeronaves da Armée de l’Air que participam da Operação Barkhane.

Militar francês com um helicóptero NH90 Caiman na Operação Barkhane. Benoît Tessier/Reuters.

A operação teve início em 2014 e vê o desdobramento de forças francesas no Níger, Mali, Chade, Burkina Faso e Mauritânia para combater insurgentes jihadistas envolvidos com o Estado Islâmico e Al-Qaeda. Os países, que foram colônias francesas no passado, formam o chamado “G5 do Sahel”. O Presidente Emmanuel Macron anunciou que a operação se encerra em 2022. 

No dia 20 de julho, um Mirage 2000D caiu no norte do Mali quando realizava uma missão de apoio aéreo para tropas em Hombiri. Os dois tripulantes do caça foram resgatados e tropas francesas localizaram os destroços do caça mais tarde. 

Caças Mirage 2000D RMV carregando mísseis MICA-IR, pods Damocles e CC422, bombas Mk.82, GBU-48, GBU-49 e GBU-50. As faixas azuis indicam que as bombas e mísseis são inertes. Foto: Força Aeroespacial Francesa.

Já no início de agosto, a Armée de l’Air anunciou a conclusão da campanha de testes com dois Mirage 2000D modernizados para o padrão RMV (Rénovation Mie-Vie). Porém, esses jatos foram usados no Djibuti, país localizado no Chifre da África. Os Mirages receberam integração com bombas dual-mode da família Paveway (guiadas por laser e GPS), novo pod de canhão de 30mm, mísseis MICA IR de curto alcance e novos sistemas e aviônicos. 

DEIXE UMA RESPOSTA