Wizz Air

A Wizz Air vai em breve iniciar um projeto do Governo da Hungria: A realização de voos entre Budapeste e Pequim, na China.

A curiosa rota será operada por aeronaves da família A320, porém, com preferência para o Airbus A321. Como o avião com certeza não tem autonomia para cumprir toda essa rota a companhia escolheu uma escala.

Deste modo, o voo precisará de uma escala em Nur-Sultan, capital do Cazaquistão. A duração total pode extrapolar as 12 horas de voo, considerando o desempenho de um Airbus A321neo e a escala para reabastecimento no caminho.

A rota para a China deve começar em junho deste ano, e faz parte de um acordo bilateral entre a Hungria e o país asiático, anunciado recentemente pelo Ministro das Relações Exteriores, Péter Szijjártó.

Esse pode ser o voo regular mais longo realizado pelo Airbus A321neo atualmente, quando consideramos também os voos com escalas.

No passado a FlyBosnia realizou uma curiosa rota, utilizando a boa autonomia de um Airbus A319 para voar entre Saravejo e Pequim, na China. O voo também fazia escala no Cazaquistão, mas na cidade de Karaganda.

Bem provável que esse será um voo complicado para os passageiros. A Wizz Air aposta em uma configuração de alta densidade para as suas aeronaves. O Airbus A321neo da companhia tem 239 assentos, a capacidade máxima da aeronave.

Com o A321XLR, que a companhia não tem em sua frota devido ao avião ainda estar em fase de projeto, a Wizz Air pode conseguir cumprir essa rota sem escalas.