As operações paralelas simultâneas de pouso no Aeroporto de Brasília iniciam no dia 18 de julho. O anúncio foi feito nesta terça-feira (05/07) durante uma palestra de esclarecimento voltada à comunidade aeronáutica que opera em Brasília (DF). O objetivo foi orientar pilotos e outros profissionais das aviações militar e civil sobre as Operações Paralelas Simultâneas no Aeródromo de Brasília. A atividade foi organizada pelo Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA I), unidade da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável pela maior quantidade de tráfego aéreo do País – 45% do total.

Mais de 70 pessoas assistiram à apresentação realizada pelo chefe do controle de aproximação (chamado de APP) de Brasília, Tenente Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Cleveton Luciano Grings, que ressaltou a importância dos procedimentos serem seguidos. “A operação aqui requer critérios rígidos, cumprimento de normas e seguimento das orientações dos controladores de tráfego aéreo”, disse. O militar também destacou que as operações simultâneas foram homologadas por aeronaves do Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV), que realizaram testes no aeródromo.

Durante a palestra, os profissionais também foram informados que a retomada das decolagens simultâneas independentes está prevista para o dia 18 de agosto. “Maior fluxo de tráfego significa otimização de tempo. Todos se beneficiam porque minimiza a formação de filas e isso reflete no tempo em que o passageiro fica dentro da aeronave”, disse o Brigadeiro do Ar, Gustavo Adolfo Camargo De Oliveira.

A operação simultânea das duas pistas do Aeroporto de Brasília foi interrompida no dia 4 de março, após uma série e incidentes no controle de tráfego, derivado de decolagens simultâneas. Este tempo serviu para a FAB otimizar suas cartas de aproximação, esclarecer para os pilotos e controladores os métodos de aproximação e saída do aeródromo, além de treinar seus controladores para identificar rapidamente anormalidades na operação da torre.

Com essa operação é possível que o Aeroporto de Brasília receba até 25% mais aeronaves por hora de operação, passando de 60 para 80 movimentos por hora. Para isso o local conta com duas pistas, uma com 3.300x45m e outra com 3.200x45m, espaçadas em 1800 metros, quantidade bem acima da exigida por diversas regras internacionais.

 

 

Fonte – FAB (Com alterações Aeroflap)

COMPARTILHAR