Ontem (19/12) os deputados federais aprovaram um acordo de céus abertos com os Estados Unidos, que atualmente divide opiniões entre as companhias aéreas brasileiras pela possibilidade de não limitar o número de voos que as companhias americanas fazem para o Brasil.

Essa medida já tinha sido assinada anteriormente pela presidente Dilma Roussef e o presidente Barack Obama em 2011, mas desde então estava parado no Congresso Nacional. A votação ainda será atrasada, visto que o texto precisa passar pela aprovação do Senado, que só vai retomar suas atividades em 2018.



Airbus A350 da LATAM Brasil.

A limitação do acordo atual é para até 301 frequências semanais para os dois países, como dito anteriormente, esse novo acordo não limita o número de voos entre as companhias americanas e as brasileiras.

Enquanto a LATAM apoia a abertura do mercado entre os países, visto que a companhia vai se apoiar nas operações da parceira American Airlines, a Azul Linhas Aéreas disse que o acordo é injusto, visto que há regras diferentes para as companhias americanas, que resultam em privilégio financeiro para elas, e assim conseguem fazer voos com maior lucro.