Foto – Força Aérea Brasileira

O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), localizado em Parnamirim, zona metropolitana de Natal (RN), lançou um Foguete de Treinamento Básico (FTB), nessa quarta-feira (11), às 13h45. A finalidade foi o treinamento operacional dos recursos humanos do Centro e a contínua operacionalidade dos meios.

O lançamento foi considerado um sucesso pelo Coordenador de Planejamento da Operação, Capitão Aviador Paulo Rodrigo Guirra Leite, destacando a simulação de emergência na plataforma, o treinamento de mudança de trajetória nominal próximo ao horário previsto para o lançamento e a transmissão em tempo real para o público da feira Campus Party em Natal.

“Além da consolidação da capacitação técnica-operacional dos recursos humanos e da disponibilidade dos meios, as respostas ao acionamento de emergência, a eficiência da equipe diante da necessidade de mudanças na trajetória e a justa coordenação de enlaces para transmissão no evento Campus Party foram fatores positivos na avaliação geral da Operação”, ressaltou.

Foto – Força Aérea Brasileira

O Diretor do Centro, Tenente-Coronel Engenheiro Fabio Andrade de Almeida, apresentou o briefing da Operação para a audiência que participava da Campus Party no Centro de Convenções de Natal, com conexão direta e ao vivo com o CLBI para que todos acompanhassem o final da cronologia e lançamento.

Na avaliação do Diretor, a interação com o público do evento promoveu a missão institucional do CLBI. “O interesse na temática espacial do público presente nos surpreendeu. Foi uma oportunidade para esclarecer dúvidas e aprofundar o conhecimento. Apresentamos nossa missão e, também, como estamos inseridos no Programa Espacial Brasileiro”, afirmou.

O estudante de engenharia elétrica, Ricardo Lemos, ficou surpreso com a logística que envolve a coordenação de uma Operação de Lançamento. “O palestrante esclareceu que participaram desta Operação 109 servidores e os recursos da Marinha e Força Aérea Brasileira para interdição aérea e marítima, visando maximizar os requisitos de segurança”, destacou.

 

Via – Força Aérea Brasileira

This post is available in: pt-brPortuguês