Foto - Air France/Divulgação

A Air France-KLM foi nomeada novamente líder da indústria de transporte aéreo pelo Índice de Sustentabilidade Dow Jones (DJSI), indicativo mais importante do mundo para as práticas sociais e ambientais promovidas pelas empresas.

Pelo décimo quinto ano consecutivo, o Grupo é um dos pioneiros nas categorias Europa e Mundial, e este ano conquistou o primeiro lugar.

“O DJSI está recompensando o trabalho duro e as ações concretas tomadas nos últimos anos por todos os funcionários da Air France, KLM e Transavia, em todas as áreas de atividade, reconhecendo a Air France-KLM como líder do setor“, disse Benjamin Smith, CEO da Air France-KLM.

“O Grupo leva muito a sério sua responsabilidade social e ambiental e busca incansavelmente por melhorias nessa área, tão vital para o nosso planeta, funcionários, clientes e futuras gerações. Devemos permanecer engajados e unir nossos parceiros do setor, pois temos uma responsabilidade compartilhada de melhorar continuamente a sustentabilidade do transporte aéreo”, completou.

 

O que a Air France está fazendo

A Air France eliminará 210 milhões de itens de plástico de uso único até o final de 2019, sendo substituídos, em todos os voos, por alternativas mais sustentáveis. Os passageiros receberão produtos feitos de bio-materiais em vez de itens descartáveis de plástico geralmente distribuídos a bordo, ainda se mantendo de acordo com as regras e regulamentações de saúde.

A aérea francesa também se comprometeu com um pedido firme de 60 aeronaves Airbus A220-300, com mais 30 opções de compra e 30 direitos de aquisição. O A220-300 gera 20% menos emissões de CO2 do que aviões semelhantes e é duas vezes mais silencioso, permitindo à Air France reduzir sua pegada ambiental. A primeira aeronave deve ser entregue em setembro de 2021. Elas se juntarão à frota de curta e média distâncias da aérea francesa, perfeitamente adequada para substituir o A318 e o A319.


A companhia também tem contrato com a “ECV Green Deal” para estudos demonstração da viabilidade econômica e operacional do uso consistente de biocombustíveis de aviação com produção na França. Isso significa avaliar reservas de resíduos que podem ser convertidas em biocombustíveis para aviação, como óleo de cozinha usado, gordura animal e demais resíduos.

 

O que a KLM está fazendo

Em junho, a KLM lançou a iniciativa “Fly Responsibly” (Voar com Responsabilidade), comprometendo-se a criar um futuro mais sustentável para o transporte aéreo, em que incorpora todos os esforços existentes e futuros da KLM para melhorar a sustentabilidade em nossas atividades, além de buscar o que pode ser feito com a cooperação de todos do setor.

O objetivo da KLM é pedir aos consumidores que compensem sua participação nas emissões de CO2 de seus voos, assim como as empresas são convidadas a compensar as viagens de negócios por meio do Programa Corporativo de Biocombustíveis da KLM.

“Estamos satisfeitos com este excelente ranking no DJSI, que reflete as muitas iniciativas que a KLM criou para tornar o transporte aéreo mais sustentável. Em 2018, a KLM conseguiu reduzir seu nível total de emissões de CO2, mesmo com o crescimento das operações. Ao fazer isso, a KLM reduziu as emissões de CO2 por passageiro em 17,3% em comparação a 2011. Mas ainda temos muito a fazer em termos de sustentabilidade, que continuará sendo uma área essencial de investimento e inovação para a KLM. Além disso, é importante que as partes interessadas em nosso setor intensifiquem a cooperação e troquem as melhores práticas. Somente trabalhando coletivamente, o setor de transporte aéreo poderá avançar em termos de sustentabilidade”, afirma Pieter Elbers, Presidente e CEO da KLM.

A KLM investe em combustível de aviação sustentável desde 2009, mas nossa promessa de adquirir 75.000 toneladas de combustível de aviação sustentável nos torna a primeira companhia aérea do mundo a comprar biocombustível em escala tão grande. A partir de 2022, esse combustível de aviação sustentável será produzido na primeira fábrica europeia de combustível de aviação sustentável, apoiada pela companhia e que será construída em Delftzijl.

A aérea holandesa também está trabalhando com a Universidade de Tecnologia de Delft para desenvolver uma aeronave que voe mais economicamente devido à sua forma em V (Flying-V), na qual a cabine para passageiros e tripulação, bem como o porão de carga e os tanques de combustível estão todos amplamente integrados nas asas do avião.

 

Índice de Sustentabilidade Dow Jones

Os índices DJSI Europa e Mundo, calculados em conjunto pelos índices Dow Jones da Standard & Poor’s e pelo gerente de ativos RobecoSAM, recompensam respectivamente as 144 e 318 empresas mais responsáveis. O ranking do DJSI é baseado em uma análise aprofundada do desempenho econômico, social e ambiental de mais de 3.500 grupos internacionais e na avaliação de vários critérios, como governança corporativa, relacionamento com clientes, política ambiental, condições de trabalho e iniciativas sociais.