Airbus avança na fabricação do novo A321XLR, de longo alcance

Foto: Airbus

A Airbus declarou recentemente que continua avançando no desenvolvimento do A321XLR, com a construção de componentes e a evolução do conceito de engenharia.

No início de 2020, os primeiros componentes para a aeronave de testes do A321XLR estavam sendo produzidos, como o novo conjunto de trem de pouso da Safran, que são reforçados, e as primeiras peças da caixa central da aeronave, que estão sendo produzidas pela Airbus em Nantes.

Mais recentemente, em março, a Airbus concluiu sua seleção de fornecedores para os novos componentes principais e sistemas especificamente projetados para a variante A321XLR.

Esses fornecedores incluem a Spirit AeroSystems (faps internos modificados); Diehl Aviation (água potável e sistemas de esgoto); FACC (carenagem da barriga da aeronave modificada); Aerotec Premium (estrutura primária do tanque de combustível traseiro); Collins Aerospace (sistema de combustível); Parker Aerospace (sistema de inertização do tanque de combustível); Vincorion (painéis de piso com aquecimento); Safran (trem de pouso principal e do nariz); e Triumph Group (mecanismo de retração do trem de pouso).

Antecipando a fase de industrialização, quando relevante, o programa está aplicando a nova abordagem de ciclo de vida do produto da Airbus, o DDMS (design digital, manufatura e serviços). Isso permite simulações precisas de fábrica virtual para validar investimentos e planejamento.

O programa permite o acompanhamento em tempo real dos projetos, com uma visualização em 3D tanto do funcionamento da linha de montagem dos componentes e da aeronave, como do próprio projeto e de cada componente que equipa o avião.

A previsão da Airbus continua a mesma, de concluir a montagem final do A321XLR até 2022, com certificação em 2023.


Até o momento, 24 clientes encomendaram um total de mais de 450 aviões A321XLR.

O A321XLR promete um alcance de até 8700 km com 206 passageiros a bordo, o suficiente para maioria das companhias aéreas dos EUA e Europa, mas a parte incrível essa aeronave fez sucesso na ásia.

Segundo Isabelle Bloy, chefe de engenharia do A321XLR, a Airbus utilizou o A321LR como base para o projeto, adicionando um tanque de combustível único central, no lugar dos dois tanques extras, além disso, a aeronave deve ter um tanque de combustível extra na parte frontal.

Outras mudanças incluem o fortalecimento da fuselagem e do trem de pouso principal, a incorporação de um novo sistema de flap na asa para melhorar o desempenho em baixa velocidade, além de maiores capacidades para os tanques de água e resíduos da aeronave.

 

DEIXE UMA RESPOSTA