Airbus declara que vai cortar produção de aeronaves, pela baixa demanda

Foto - Airbus

Após um sólido desempenho comercial e industrial no início do ano, a Airbus agora está revisando suas taxas de produção para se adaptar ao novo ambiente de mercado, com demanda afetada pelo Coronavírus.

No primeiro trimestre de 2020, a Airbus recebeu 290 encomendas líquidas de aeronaves comerciais e entregou 122 aeronaves.

Outras 60 aeronaves foram produzidas durante o trimestre, destacando o sólido desempenho industrial, porém não foram entregues devido à evolução da pandemia do COVID-19 em diversos países.

Cerca de 36 aeronaves foram entregues em março nas diferentes famílias de aeronaves, ante 55 em fevereiro de 2020. Isso reflete as solicitações dos clientes para adiar entregas, bem como outros fatores relacionados à pandemia do COVID-19.

De acordo com a Airbus, as novas taxas médias de produção daqui para frente foram definidas da seguinte forma:

  • Produção de 40 aviões da família A320 por mês (Ante 62 aviões por mês)
  • Produção de 2 aviões da família A330 por mês (Ante 6 aviões por mês)
  • Produção de 6 aviões da família A350 por mês (Ante 10 aviões por mês)

Isso representa uma redução das taxas médias pré-coronavírus de aproximadamente um terço. Com essas novas taxas, a Airbus diz que preserva sua capacidade de atender à demanda dos clientes, enquanto protege sua capacidade de se adaptar ainda mais à medida que o mercado global evolui.

A Airbus também está abordando um plano de contenção de caixa de curto prazo, bem como sua estrutura de custos de longo prazo, como forma de enfrentar até mesmo uma diminuição drástica na demanda por novos aviões.


“O impacto dessa pandemia é sem precedentes. Na Airbus, proteger nosso pessoal e apoiar a luta contra o vírus são nossas principais prioridades neste momento. Estamos em constante diálogo com nossos clientes e parceiros da cadeia de suprimentos, pois todos estamos passando por momentos difíceis juntos”, disse o CEO da Airbus, Guillaume Faury. “Nossos clientes de companhias aéreas estão fortemente impactados pela crise do COVID-19. Estamos adaptando ativamente nossa produção à nova situação e trabalhando em medidas de mitigação operacional e financeira para enfrentar a realidade.”

Em seu esforço para apoiar a luta contra o COVID-19, a Airbus realizou um extenso trabalho em coordenação com os parceiros sociais para garantir a saúde e a segurança de seus funcionários. Isso foi alcançado através da implementação de novos padrões e processos de trabalho rigorosos. 

 

DEIXE UMA RESPOSTA