Boeing 737 MAX Ethiopian Airlines

Quase três anos após o acidente fatal com o Boeing 737 MAX da Ethiopian, o modelo voltará a operar no país pela companhia aérea. A Etiópia é um dos últimos mercados do 737 MAX a aprovar o retorno do avião as operações.

A companhia informou em comunicado no último dia 22 de janeiro, que foram feitas intensas verificações para que o avião pudesse voltar a voar com segurança. Após o acidente da Ethiopian em 2019, todos os aviões 737 MAX foram suspensos de voar, tendo sido retomado em dezembro de 2020.

A aeronave deverá realizar seu primeiro voo de passageiros ainda neste mês.

“Dedicamos tempo suficiente para monitorar o trabalho de modificação do projeto e os mais de 20 meses de rigoroso processo de retificação … nossos pilotos, engenheiros, técnicos de aeronaves, tripulação de cabine estão confiantes na segurança da frota”, disse a Ethiopian em comunicado. 

O país seguiu as normas e modificações estabelecidas por outros países, como a atualização do sistema MCAS e de outras funcionalidades da aeronave. Além disso foi estabelecido treinamentos mais intensificados e detalhados para pilotos do Boeing 737 MAX.

Mesmo diante das melhorias de segurança no avião, há algumas pessoas que não se sentem confortáveis de voar com o MAX. 

“Eu nunca voarei em um MAX e certamente se eu me encontrar em um MAX, terei que cancelar esse voo”, disse Tom Kabau, Advogado que perdeu seu irmão no acidente com o voo da Ethiopian. 

 

Fonte: Reuters