Super Hornets Marinha acidente
Caças F/A-18 Super Hornet estacionados no porta-aviões USS Enterprise. Foto: Petty Officer 3rd Class Scott Pittman/Marinha dos EUA.

Uma sequência de três graves acidentes aéreos fez a Marinha dos EUA e o Corpo de Fuzileiros Navais aplicar uma pausa nas suas operações de voo nesta segunda-feira (13). Em cerca de uma semana, seis militares morreram.

No sábado (11), o Comandante das Forças Aeronavais ordenou que todas as unidades que não estivessem desdobradas fizessem uma pausa de segurança na segunda-feira. 

F/A-18E Super Hornet do esquadrão VFA-25 Fist of the Fleet. Foto: Mass Communication Specialist 3rd Class Aiyana S. Paschal/Marinha dos EUA

Durante o aterramento, as unidades irão “revisar as práticas de gerenciamento de risco e conduzir treinamento sobre processos de gerenciamento de ameaças e erros”, diz o comunicado da Força Aeronaval da Frota do Pacífico. 

“Para manter a prontidão de nossa força, devemos garantir que a segurança de nosso pessoal continue sendo uma de nossas principais prioridades.”

MV-22 Osprey USMC
Foto: USMC/Reprodução

A ordem é resultado de três acidentes que ocorreram nas últimas semanas, sendo dois fatais. 

O primeiro se deu no dia 03/06 com um caça F/A-18E Super Hornet. A aeronave de combate caiu na região de Trona, no sul da Califórnia, matando o piloto. 

Seahawk marinha dos EUA Acidentes
MH-60S Seahawk. Foto: Marinha dos EUA.

Cinco dias depois, a queda de um MV-22B Osprey do Corpo de Fuzileiros matou todos os cinco militares que estavam a bordo. A aeronave tiltrotor estava voando pouco ao norte da fronteira com o México, na região de Glamis, também na Califórnia.

No dia seguinte, foi a vez de um helicóptero MH-60S Seahawk. A aeronave caiu perto da Estação Aeronaval de El Centro, no mesmo estado. Os quatro tripulantes sobreviveram, sendo que um deles foi levado ao hospital com ferimentos leves.