Boeing 737 MAX 10
Foto: Boeing

A Boeing divulgou hoje (11/01) o seu número de aeronaves entregues no último ano, finalizando os 12 meses com 340 novos aviões produzidos e com os clientes da companhia.

No campo de pedidos a Boeing registrou uma significativa alta em relação ao ano de 2020. Foram 909 pedidos brutos no último ano, sendo que depois dos cancelamentos e conversões a fabricante registrou 535 pedidos líquidos a mais em 2021.

Em 2020 a Boeing finalizou com 184 pedidos líquidos ao longo do ano.

Em pedidos líquidos a Boeing superou a Airbus, que recebeu 507 encomendas firmes ao longo de 2021 (em dados líquidos).

Ao longo do último ano a fabricante entregou 340 aviões no total, a maior parte do modelo 737 MAX, visto que enfrenta problemas na produção do 787 Dreamliner, até então o 2º principal produto. Em 2020 a Boeing entregou 157 aviões.

Cerca de 84 desses novos pedidos são para aviões cargueiros, incluindo 42 novas aeronaves 777F e mais 38 novos 767F, visto que a Boeing suspendeu novas encomendas para o 747-8F. Na parte de conversão de aviões usados para cargueiros, a divisão da fabricante recebeu mais de 100 solicitações deste tipo de serviço abrangendo os modelos 737-800BCF e 767-300BCF.

Boeing 737-800BCF
Versão cargueira do 737-800 NG faz sucesso no mercado.

O 737 MAX foi novamente o destaque, tanto por ser responsável por boa parte dos cancelamentos de encomendas, como por 749 novas unidades que foram requisitadas por 18 companhias aéreas ao longo de 2021.

A brasileira GOL participou dessa adição de encomendas. Em agosto do ano passado ela adicionou 28 aviões do modelo 737 MAX 8 aos seus pedidos, que agora totalizam 135 encomendas de aeronaves.

A GOL Linhas Aéreas, a única cliente do 737 MAX no Brasil, recebeu 14 novas aeronaves deste modelo no último ano, número acima de quaisquer novos aviões recebidos pela Azul ou LATAM no mesmo período.

 

DEIXE UMA RESPOSTA