Focada no NMA, a Boeing negou que planeja retomar a produção do 767-300ER para atender poucas companhias interessadas na aeronave.

“Produzir novamente o 767 para passageiros – eu simplesmente não vejo”, disse Randy Tinseth, vice-presidente de marketing da Boeing Commercial Airplanes

Esse posicionamento de Randy foi realizado após a Boeing incluir nos seus relatórios a possibilidade de retomar a produção do 767, como forma de oferecer um produto mais barato na faixa de 200 a 300 assentos. A United chegou até mesmo a cogitar uma possibilidade de solicitar a reabertura da produção à Boeing, visto que a companhia precisa substituir os seus 757 e 767.

Roll Out do Boeing 767 em Everett. Foto – Boeing

Isso seria facilitado porque a Boeing ainda produz o 767, porém só nas versões cargueiras e militar. Desde 2014 a Boeing não fabrica o 767 para passageiros.

Todas as principais companhias dos Estados Unidos, como a American Airlines, Delta e a United, declararam interesse no NMA, como forma de substituir os aviões 757 e 767 envelhecidos.

Todas essas três companhias juntamente tem 238 aviões da família 757 e 153 da família 767, com média de 20,1 anos e 20,4 anos, respectivamente.

 

Via – FlightGlobal