Boeing inicia testes com o maior avião da linha 737 MAX

737 MAX 10
Foto - Boeing

A Boeing iniciou nesta última terça-feira (03/03) os testes para o início da certificação do 737 MAX 10, a maior variante da família 737 construída pela fabricante norte-americana.

Os testes aconteceram em Renton (WA), onde ficam as instalações da Boeing para a montagem do 737 MAX.

Os primeiros testes foram em solo, colocando a aeronave em procedimento de taxiamento em solo, para verificar a integridade da montagem e dos sistemas do 737 MAX 10.

A Boeing apresentou em novembro de 2019 o primeiro MAX 10, no entanto, devido às turbulências que a empresa enfrenta para certificar novamente o 737 MAX, o primeiro voo do 737 MAX 10 foi adiado diversas vezes.

Nos últimos dias a FAA e a Boeing estão indicando que o 737 MAX está cada vez mais próximo da certificação, então a Boeing continuou com seu projeto de certificar especificamente o 737 MAX 10.

Ainda não há indícios que esta aeronave de testes já conta com o novo software de controle de voo, desenvolvido pela Boeing após os dois acidentes com o 737 MAX 8. Vale ressaltar que o software de controle de voo é o mesmo para todas as aeronaves da família 737 MAX, com poucas alterações de acordo com a variante.

 

O Boeing 737 MAX 10


Para criar o 737 MAX 10 a Boeing acrescentou mais uma seção e meia na fuselagem do 737 MAX 9, aumentando o tamanho do avião em 1,68 metros, dessa forma a capacidade máxima da aeronave saltará de 220 passageiros para 230.

O motor será o mesmo que equipa o 737 MAX 9. Dois CFM Leap-1B, com 28 mil lbs de empuxo (cada), serão responsáveis pela propulsão do jato.

Uma leve alteração no trem de pouso foi realizada, para evitar o tail strike nos procedimentos de decolagem e pouso. A altura será ampliada através de uma alteração no amortecedor da aeronave, permitindo manter o mesmo compartimento do trem de pouso das outras versões.

Atualmente, o 737 MAX 10 tem mais de 550 pedidos e compromissos de mais de 20 clientes em todo o mundo. 

As entregas estão programadas para começar no período de 2020. No Brasil a GOL já encomendou 30 unidades dessa aeronave.

 

Alterações no trem de pouso

A Boeing estudou vários tipos de alterações no trem de pouso, devido a baixa altura do 737 MAX, e acabou optando por um novo design da alavanca de acionamento e que guia o sistema de amortecimento, que agora se estende 241 mm no total. Ela é capaz de oferecer o curso total de suspensão que o 737 MAX 10 precisa, e recuar o mesmo para manter o mesmo compartimento do 737 MAX 8 e 9.

A inspiração dos engenheiros foi o 777-300, que tem um curso maior de suspensão. Muitos elementos de design do jato maior foram estudados pelos engenheiros da Boeing, até criar essa solução.

Além disso a alavanca incorpora o “link de encolhimento”, um mecanismo novo em comparação com os outros aviões, que puxa o cilindro interno à medida que a engrenagem se retrai, permitindo o perfeito encaixe no mesmo espaço.

“Do ponto de vista do piloto, não há nada diferente do trem de pouso do 737 MAX 10 e da família 737 MAX existente”, disse Hamatani no vídeo abaixo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA