Como as aeronaves da Airbus são mantidas no solo durante a Covid-19?

LATAM
Aeronaves da LATAM na área remota do Aeroporto de Congonhas.

A pandemia da COVID-19 gerou uma crise de saúde que afetou todo o mundo, mas além dos efeitos na saúde, também teve um impacto profundo em muitas indústrias, incluindo a aviação.

Com cerca de 700 aeronaves em solo na América Latina, a indústria da aviação teve que se adaptar e se reinventar, mesmo que momentaneamente, para se manter à tona durante a pandemia.

Por exemplo, voos cargueiros estão operando com maior frequência, o que implica que as companhias aéreas desempenham um papel fundamentalmente humanitário e de apoio aos Estados por meio do fornecimento de suprimentos médicos para atender a emergência sanitária, bem como outros suprimentos que a população e o comércio exigem.

Ainda de acordo com a International Air Transport Association (IATA), durante o mês de maio o transporte aéreo de cargas apresentou ligeira recuperação em seus níveis em relação ao mês passado (em abril, as toneladas de carga por quilômetro caíram 25,6%, em relação ao no ano passado, enquanto em maio a queda foi de 20,3%).

Apesar dessas ações, ainda há um grande número de aeronaves em solo hoje e isso apresenta alguns desafios operacionais para as companhias aéreas. Para acompanhar seus clientes neste momento, a Airbus está disponibilizando soluções especialmente desenvolvidas em sua plataforma de dados abertos Skywise, bem como suas equipes de Atendimento ao Cliente trabalhando para adequar as recomendações de manutenção.

Skywise, desenvolvido pela Airbus em conjunto com a Palantir Technology para a indústria da aviação, oferece um diferencial inestimável ao disponibilizar as informações certas no momento certo.

Na aviação, os dados costumavam ser bloqueados em silos para manutenção, gerenciamento de voo, monitoramento e segurança de aeronaves e outros fluxos de trabalho críticos. Skywise integra grandes fontes de dados díspares e torna esses dados disponíveis, compartilháveis e transparentes.


Por sua vez, ajuda a identificar padrões para encontrar as causas raízes e as soluções mais eficientes e menos dispendiosas. Esta tecnologia avançada de integração de dados para atender aos desafios mais urgentes da indústria assume uma dimensão especial durante a situação atual.

Foto – Brussels Airlines

Entre as novas dificuldades que as companhias aéreas enfrentam está a tarefa de localizar suas aeronaves, bem como verificar em que estágio de manutenção elas se encontram. Agora, eles podem usar o aplicativo geoespacial “Gerenciamento de estacionamento” do Skywise para marcar seus aviões no solo e estacioná-los virtualmente em aeroportos/estações (hangar, portões, pista de taxiamento etc.).

Com ele, é possível obter rapidamente dados contextuais, como os anos da aeronave, a última e a próxima verificação, a última revisão de montagem principal e muito mais. Este novo aplicativo também permite que os operadores decidam efetivamente onde armazenar cada aeronave individual e em que ordem.

Também para os clientes da região que utilizam a plataforma Skywise como Azul, Sky, Avianca, LATAM, Aerolineas Argentinas, VivaAerobus, Aruba Airlines, JetSMART, Viva Air e Tame, a empresa tem acesso gratuito à ferramenta de aprendizagem online Skywise Academia, com o objetivo de fornecer treinamento para ajudá-los a responder aos efeitos operacionais da crise. Este serviço de e-learning está integrado na plataforma e oferece tutoriais orientados que permitem a qualquer usuário melhorar rapidamente na utilização destas novas ferramentas.

A atual situação cria a necessidade de oferecer medidas excepcionais, bem como ser capaz de fornecer rapidamente um suporte pragmático aos operadores, mas sempre mantendo os mais elevados níveis de segurança.

Para isso, a Airbus está fornecendo através de seu Atendimento ao Cliente justificativas técnicas e soluções para amenizar as tarefas de manutenção. Isso inclui estender os intervalos do calendário para as tarefas de manutenção programada e reduzir a frequência das verificações periódicas no solo de uma vez por semana para a cada duas semanas, quando justificado pela experiência e análise dos engenheiros.

Retorno das operações

Outra preocupação das companhias aéreas é a logística de retorno das operações. Vários são os fatores necessários para garantir tanto a adequação da aeronave destinada ao retorno ao serviço para as operações planejadas, quanto para montar uma estimativa confiável do fluxo de caixa nestes tempos incertos, entre eles: o cronograma de manutenção, horas-homem e custos associados, compreensão do impacto do adiamento do OEM e do cenário de utilização não uniforme, entre outros.

Para resolver isso, a Airbus também preparou, por meio de sua plataforma, o aplicativo Skywise Return to Service. É um aplicativo de pagamento que permite às companhias aéreas avaliar diferentes cenários de utilização e encontrar a combinação de aeronaves que, ao retornar ao serviço, geram custos menores.

O aplicativo foi projetado para levar em consideração a variabilidade em fatores como idade da aeronave, manutenção excepcional e adiamento de tarefas de OEM ao calcular o custo total de operação. Também pode ser usado como uma forma de nivelar a carga de trabalho em algumas estações e planejar rotações para frotas já operacionais.

Por meio deste aplicativo intuitivo, os clientes poderão reagir mais rapidamente às mudanças incertas, reduzir o tamanho de suas equipes para essas tarefas, não precisar usar horas de gestores com maior expertise para resolver esses cenários, evitar erros, facilitar a colaboração entre os funcionários, bem como o planejamento das necessidades financeiras de sua operação.

 

Via: Airbus
Imagens: Aeroflap

DEIXE UMA RESPOSTA