Foto: Red Bull.

Bem vindo ao resumo semanal de notícias do Portal Aeroflap. Aqui listamos para o nosso público os 10 assuntos principais da aviação nos últimos 7 dias, bem como nossos melhores artigos da semana.

Para essa postagem consideramos as matérias publicadas entre o período de 12 de junho a 18 de junho, exatamente sete dias, e descontando o dia anterior ao de publicação do resumo, que é sempre aos domingos aqui no Portal Aeroflap.

Receba as principais notícias da aviação diretamente no seu TELEGRAM, em tempo real. Participe do nosso grupo Clicando Aqui.
Para participar no Whatsapp Clique Aqui.
 

Vamos começar com os principais assuntos?

 

1. Sai avião, Entra avião

A semana foi bastante movimentada na frota das companhias aéreas Brasileiras.

Azul Embraer E195
Foto: Ícaro Roberto/Aeroflap

Nos primeiros dias um Embraer E-Jet de matrícula PR-AXW voltou para a frota da Azul Linhas Aéreas. A aeronave estava em Portugal desde o início de 2020, quando seria direcionada para a frota da LOT Polish Airlines, no entanto isso não ocorreu, e o avião voltou agora para a Azul.

Pousou em Confins nesta segunda-feira (14) o quarto avião da frota da Itapemirim, um Airbus A320 de matrícula VT-IDM, mas que na Itapemirim vai operar com a matrícula PS-TCS. A matrícula PS-TCS é um acrônimo de Tiago da Cruz Senna, antigo CEO da aérea, que agora está como vice-presidente do Grupo Itapemirim.

A GOL também recebeu mais um avião para a sua frota. Em menos de duas semanas, a Boeing entregou mais um 737 MAX para a GOL, o 10º da frota, de matrícula PR-XMP. 

Já a LATAM Brasil devolveu na última terça-feira (15) mais um avião do modelo Airbus A350XWB, de matrícula PR-XTJ. A aeronave estava estocada desde fevereiro no Aeroporto de Confins, em Minas Gerais, e decolou de lá para Victorville, na Califórnia (EUA) onde ficará armazenado.

A companhia subarrendou este avião, de matrícula PR-XTJ, para a Qatar Airways, que devolveu a aeronave em outubro de 2020. A LATAM não chegou a operar com este avião na sua frota apesar do contrato de leasing estar no nome da companhia.

 

2. Boeing realiza o primeiro voo do 737 MAX 10

Boeing 737 MAX 10
Foto: Boeing/Divulgação

Antes de todo o problema que surgiu na família de aviões 737 MAX, a Boeing anunciou a maior versão do 737 já projetada e produzida pela empresa, em meados de 2018.

Os problemas que o 737 MAX enfrentou, e a pandemia, atrasaram o primeiro voo da maior variante, apesar da mesma ter sido apresentada em 2019. Mas nas últimas semanas o 737 MAX 10 voltou a ativa, realizando novamente testes em solo já completamente atualizado.

E o primeiro voo ocorreu nesta sexta-feira (18), decolando e pousando nas proximidades de Seattle. A aeronave voou por pouco mais de 2 horas e meia realizando manobras à uma altitude mais baixa.

Durante a viagem, a aeronave realizou um toque-arremetida em Moses Lake e seguiu fazendo manobras a aproximadamente 15 mil pés de altitude. Por volta de 12h37, o 737 MAX 10 pousou em Seattle na Boeing Field.  

Nas próximas semanas a Boeing deverá realizar novos voos de teste, com as entregas atrasadas a fabricante irá entregar o primeiro exemplar somente em 2023, com três anos de atraso em relação ao cronograma inicial.

Essa versão tem mais de 450 encomendas registradas, e juntamente com o 737 MAX 8, figura como uma das mais vendidas desta geração.

 

3. Aerosul começa a operar voos comerciais no Sul do Brasil

A Aerosul começou no último dia 16 de junho a operação dos seus voos subrregionais, que partem do Aeroporto de Londrina para Curitiba e Florianópolis.

As passagens entre Londrina e Curitiba estão sendo comercializadas a partir de R$ 299, e de Londrina para Florianópolis a partir de R$ 599.

Enquanto os voos partindo de Londrina para Curitiba e Florianópolis iniciaram no dia 16 de junho, no próximo mês a companhia inicia os voos para os outros três destinos.

Todos esses voos serão operados com o Cessna Grand Caravan, de acordo com dados da ANAC. A aeronave é conhecida pela sua capacidade de voos ultrarregionais, e pode transportar até 9 passageiros.

A Aerosul ganhou a aprovação para realizar voos comerciais regulares, dentro da regulamentação de aviação ultrarregional, em janeiro deste ano. A empresa já atuava, e continua trabalhando, no segmento de fretamento executivo e de cargas.

Veja mais em www.aerosul.com.br

 

4. Aéreas do Brasil tiveram prejuízo de R$ 20,37 bilhões em 2020

Ainda sob impactos decorrentes da pandemia da Covid-19 no setor aéreo, o 4º trimestre de 2020 seguiu com retração de demanda das três principais empresas aéreas do setor (LATAM, GOL e AZUL) em relação ao mesmo período do ano anterior. Juntas, as companhias tiveram retração de 47% na oferta de voos.

No período, as companhias tiveram prejuízo líquido de R$ 678,7 milhões, o que corresponde a uma margem líquida negativa de R$ 12,5%, ante prejuízo líquido de R$ 1 bilhão, registrado no mesmo período em 2019.

O acumulado do prejuízo das aéreas em 2020 é de 20,37 bilhões de Reais.

Em 2020, a receita com passagens representou 78,6% das receitas totais das empresas, com um total de R$ 15,3 bilhões ante R$ 37,6 bilhões no acumulado de 2019.

Os dados apresentados constam das demonstrações contábeis do 4º trimestre das empresas aéreas brasileiras publicadas na página da ANAC. Os números são apresentados pelas empresas brasileiras de transporte aéreo público e divulgadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), nesta segunda-feira (14/6), como resultado consolidado do setor.

 

5. GE e Safran anunciam desenvolvimento de novo motor totalmente inovador

Na última segunda-feira (14/06) a GE Aviation e a Safran anunciaram oficialmente o desenvolvimento de um novo projeto. As duas empresas, no âmbito da joint-venture CFM, vão desenvolver o conceito Open Rotor “RISE”, conhecido anteriormente como “propfan”.

A meta das fabricantes é conseguir uma redução de 20% no consumo de combustível, em relação ao motor CFM Leap-1A, que está substituindo. O sistema desenvolvido, de acordo com a divulgação, poderá ser adaptado para uma configuração híbrida e para uso de 100% de biocombustível.

O novo motor mescla tecnologias atuais com a evolução do conceito propfan, existente desde a década de 70. A mescla entre as tecnologias, como o Open Rotor, já apresentado pela Rolls-Royce, os materiais compostos e cerâmicos, existentes no GE9X, e o conceito propfan, ajudarão a CFM a atingir esta meta de economia de combustível até a próxima década.

A grande aposta da GE é ganhar vantagem no projeto da Boeing para criar um substituto do 737 MAX na próxima década. Atualmente a Boeing dá preferência à CFM nos seus projetos de aviões de corredor único.

 

6. Airbus e Cathay vão estudar voos do A350 com somente um piloto

A Cathay Pacific firmou um acordo de colaboração com a Airbus para desenvolver tecnologias de tripulação reduzida. Esta engloba a pilotagem da aeronave com um único tripulante, ao contrário dos dois exigidos atualmente para a condução da aeronave.

O programa Project Connect, da Airbus, pode estabelecer a operação do A350 a partir de 2025 com somente um piloto dentro do cockpit. Esta acontecerá somente em voos de longa distância (maior que quatro horas), e em regime de cruzeiro, com velocidade e altitude estabilizadas.

Esse tipo de certificação pode diminuir os custos de qualquer companhia operadora do A350, visto que diminui a quantidade de tripulantes técnicos que a companhia necessita para cada voo de longa distância.

Normalmente nesses voos de longa distância a aeronave precisa ser pilotada por uma tripulação composta, também chamada de tripulação de revezamento, com a presença de três ou quatro pilotos durante o voo, dependendo da duração do mesmo.

Com esse projeto da Airbus, o A350 poderá fazer voos com mais de 8 horas de duração com somente dois ou três pilotos a bordo. Este também não deixa de ser um passo para a padronização das operações com somente um piloto.

 

7. Governo do Rio de Janeiro quer voos do aeroporto Santos Dumont para apenas dois destinos

Nesta semana o Jornal O Globo publicou que a Prefeitura do Rio de Janeiro está voltando com seu ambicioso projeto, que pode concentrar diversos voos no Aeroporto do Galeão, em uma tentativa de reforçar o tráfego aéreo no local.

A mudança sugerida pela própria prefeitura do Rio de Janeiro é para concentrar os voos domésticos no Aeroporto do Galeão, e deixar o Santos Dumont somente com voos para São Paulo, cumprindo a Ponte Aérea, e Brasília.

Foto – Divulgação / RIOgaleão

A meta do governo do Rio de Janeiro, se conseguir uma autorização para cumprir essa bizarra regra, é deixar o Aeroporto do Galeão mais atrativo para voos em conexão, aumentando também a demanda por voos internacionais.

Em abril deste ano o Secretário de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, disse que o Governo Federal não vai restringir os voos no Aeroporto Santos Dumont, antes ou depois da concessão do mesmo em 2022.

“É inegável o benefício da competição e da concorrência para a sociedade. O passageiro tem direito de escolha”, apontou. “Eu fico assustado. Se eu entendi bem, a proposta [do governo estadual] é vocacionar? Obrigar o passageiro a ir para o Galeão, é isso?”

Essa proposta provavelmente encontrará uma resistência muito grande para ser aprovada pelo governo estadual e federal, apesar da vontade do prefeito.

 

8. Red Bull promove corrida entre Extra 300 e carro de Fórmula 1 na Eslováquia

Promovendo seu especial From Castle to Castle, a Red Bull realizou uma corrida entre um carro RB7 e um Extra 300 SR. O carro de Fórmula 1 e o avião acrobático disputaram um sprint em uma pista, com a aeronave nos comandos de Martin Sonka, campeão mundial da Red Bull Air Race, voando de dorso por cima do carro pilotado por David Coulthard, ex-piloto da Red Bull Racing. 

O RB7 foi usado na temporada de 2011 pelos pilotos Sebastian Vettel e Mark Webber, e nas mãos de Coulthard acelerou firme na disputa contra o Extra 300 de Sonka na pista do aeródromo de Poprad, na Eslováquia. 

“Nós temos uma visão muito limitada dentro dos nossos cockpits e, para voar a um nível tão baixo e invertido, tenho mais ou menos de olhar para frente para poder controlar a altura do avião. O piloto (Coulthard) também tem de olhar para frente, contudo, devido aos apoios de cabeça e pescoço que os pilotos de F1 utilizam, ele não consegue olhar para cima. Resolvemos esse problema colocando um pequeno espelho na frente dele para que pudesse me ver e olhar adiante”, explica o aviador. 

Além do voo alucinante, a produção da Red Bull faz o potente RB7 acelerar em pistas de terra, pedra e asfalto, visitando os castelos da República Tcheca e Eslováquia. “A melhor coisa sobre este filme é que tudo é real. Quando a aeronave está a apenas alguns metros acima do RB7 e de cabeça para baixo, isso é real, essa é a habilidade de Martin. Ele é um profissional de excelência” destacou David, que também já correu pelas equipes Williams e McLaren, além de ter disputado a DTM alemã.

 

9. Boeing 787 da British Airways sofre problemas com trem de pouso dianteiro em Londres

Nesta última sexta-feira (18) um Boeing 787-8 da British Airways, de matrícula G-ZBJB, sofreu um incidente enquanto estava sendo preparado para um voo no Aeroporto de Heathrow, em Londres.

Na ocasião a aeronave sofreu uma retração involuntária do trem de pouso, enquanto estava no solo do Aeroporto de Heathrow, em Londres.

A extensão dos danos na aeronave são desconhecidos no momento. Equipes da British Airways estão trabalhando ao redor da aeronave neste momento.

Uma escada estava acoplada na 2ª porta da aeronave, localizada próxima ao bordo de ataque da asa. A companhia diz que o avião estava sendo preparado para um voo de carga.

Em nota, a British Airways disse que a aeronave estava operando como um cargueiro, sem passageiros a bordo, acrescentando que sofreu danos em 18 de junho enquanto estava parada em solo.

“A segurança é sempre nossa maior prioridade e estamos investigando o problema”, acrescenta a companhia.

O Departamento de Investigação de Acidentes Aéreos do Reino Unido afirma ter enviado uma equipe para investigar o incidente.

“Enviamos uma equipe a Londres Heathrow para iniciar uma investigação sobre um incidente envolvendo uma aeronave que sofreu um colapso do trem de pouso do nariz enquanto estava sendo carregada.”

 

10. Azul prevê contar com mil postos de trabalho para seu hangar de Viracopos

Foto: Gisele Orquídea/Aeroflap

Ainda antes de concluir a instalação de seu hangar de Viracopos em abril do ano passado, a Azul já empregava cerca de 4 mil pessoas em sua operação no aeroporto, entre aeronautas e aeroviários.

Pouco mais de um ano após a inauguração, o novo centro de manutenção de aeronaves da Azul já emprega quase 400 pessoas – 250 delas contratadas em 2021 – e espera alcançar a marca de 1.000 Tripulantes até 2024. De acordo com uma declaração da companhia nesta semana.

Além de sua relevância para a operação e conexão de voos, Campinas foi a cidade escolhida pela Azul para receber milhões de reais em investimentos e abrigar, além do hangar – onde foram investidos mais de R$ 210 milhões -, um Terminal de Cargas da Azul Cargo Express, que deve receber R$ 7,5 milhão em investimentos, e a UniAzul, universidade corporativa que aplica cerca de 30 mil treinamentos para pilotos e comissários anualmente, utilizando tecnologia de ponta, resultado de um investimento de mais de R$ 41 milhões.

“Nós vemos um potencial enorme nos 20 municípios da RMC e estamos desenvolvendo nossa empresa juntamente com a Região, investindo em infraestrutura para nossa operação e, ainda, na qualificação da mão de obra local. No início deste ano, por exemplo, nós importamos os processos de instalação de Wi-Fi em nossas aeronaves – que antes eram feitos nos Estados Unidos – para o nosso hub de Viracopos. Isso é benéfico para a companhia, pois concentra a manutenção em um lugar, mas também é para a RMC, porque contribui para o desenvolvimento da região e na criação de oportunidades com boa remuneração. Hoje, a média salarial dos nossos Tripulantes na região de Campinas, por exemplo, é de cerca de R$ 5 mil”, explica John Rodgerson, Presidente da Azul.

 

ARTIGOS

Nesta semana postamos três artigos que falaram sobre diversos temas, porém com dois contando histórias da aviação.

O primeiro que postamos foi relatando quando dois aviões colidiram em solo, no Aeroporto de Bruxelas, em 1998, e após diversos reparos voltaram a voar por vários anos, apesar do prejuízo milionário.

Veja este artigo Clicando Aqui.

 

Também listamos nesta semana as rotas mais longas já realizadas com o A321neo, mesmo sem contar ainda com a versão XLR, que só estará disponível no ano de 2023. Por incrível que pareça, há companhia fazendo voos com mais de 6500 km de distância com este avião de corredor único.

Veja este artigo Clicando Aqui.

 

F-117
F-117A Nighthawk, o mais famoso do mundo furtivo. Foto: U.S Air Force

O terceiro artigo foi sobre a história do F-117 Nighthawk, que completou 40 anos nesta última sexta-feira (18). Por quase 10 anos a mesma aeronave operou em segredo na Área 51, voada por pilotos e cuidada por mecânicos selecionados a dedo.

O F-117 Nighthawk durou pouco, porém foi a base para todos os aviões Stealth que existem atualmente.

Veja este artigo Clicando Aqui.

 

 

Resumo com colaboração dos editores Gabriel Centeno, Gabriel Melo e Pedro Viana.

DEIXE UMA RESPOSTA