Recentemente realizamos dois voos pela Avianca Brasil, na rota Brasília – Guarulhos e Congonhas – Brasília.

Os voos aconteceram durante a semana, especificamente nos dias 23 e 25 de janeiro. No voo fui acompanhado do Matheus Felipe, membro da equipe Aeroflap e responsável por filmagens.

Esta avaliação será do voo de 23 de janeiro, no qual voamos em um A320neo de prefixo PR-OBH. Também colocaremos alguns pontos sobre o voo de retorno para Brasília (O66064), realizado no dia 25 de janeiro.

Companhia: Avianca Brasil

Voo: O6 6189

Avião:  Airbus A320-251N (PR-OBH)

Data: 23/01/2019 Horário: 09:30 → 11:20

De: Brasília (BSB)

Para: Guarulhos/São Paulo (GRU)

 

COMPRA

A compra da passagem foi feita com bastante antecedência, comprada diretamente pelo site da Avianca, e o pagamento foi por meio de boleto bancário.

Antes de efetivar a compra, pesquisamos bastante para achar o melhor preço. O preço total foi R$ 489,00, para os dois passageiros e quatro passagens.

Como foi uma rápida viagem a São Paulo não precisamos despachar mala, sendo assim não pagamos o valor para tal.

 

CHECK IN

O check-in foi realizado diretamente no balcão da empresa, sem filas e sem maiores problemas. Após ter feito, seguimos para a sala de embarque, passando por todo o processo de segurança do aeroporto.

Finalizado os processos seguimos para o portão 30 e embarcamos na aeronave.

 

EMBARQUE

O embarque foi de maneira bem tranquila sem muita fila, logo acomodamos nossas mochilas com roupas e câmeras nos respectivos lugares e nos acomodamos em nossos assentos 16k e 17k ambos com janela e próximo à asa, afinal queríamos escutar o som dos motores CFM LEAP-1A, que são um dos diferenciais da família Neo.

 

VOO

O voo foi bem agradável, gostamos bastante do nosso primeiro voo em um A320neo.

De fato, a aeronave tem um baixo ruído dos motores, o que faz o voo de certa maneira ser mais agradável ainda.

Assim que decolamos da 11R do SBBR (BSB), atingimos 39000 pés em mais ou menos 20 minutos. O voo foi rápido durou mais ou menos 1h20, sem muita turbulência, de maneira bem tranquila, saindo e chegando no horário previsto.

 

 

SERVIÇO DE BORDO

O serviço de bordo foi o mesmo, tanto no voo de ida quanto no de volta.

Ele é composto pelo padrão da Avianca em rotas fora da Ponte Aérea, com um sanduíche aquecido com queijo e peito de peru servido com água mineral. Foi de maneira simples, sem muita opção, com tudo estava saboroso.

Os comissários não ofereceram as opções de refrigerante e suco, nos dois voos, somente água e café.

 

ENTRETENIMENTO

Apesar de preferir apenas admirar a visão a partir da janela, usamos um pouco o entretenimento a bordo do A320neo da Avianca.

As telas são individuais, por assento, e com uma ampla opção de jogos, músicas, séries e modos de acompanhar o voo com dados reais fornecidos pelo Flight Deck.

Eu optei por escutar as músicas do meu celular e jogar o clássico PAC-MAN, é possível usar controle para acessar todas as funções do entretenimento, além de poder jogar. As telas são Touch-Screen e tinha entrada USB para carregar celulares.

Como estávamos levando câmeras, pois iriamos spottear em São Paulo, outra distração ficou por conta de nossas lentes, fotografando pela janela a paisagem abaixo.

 

CONCLUSÃO

De maneira geral foi bem agradável o voo, com bastantes opções de entretenimento. Achei fraco o serviço de bordo, apesar do sanduíche quente, faltaram sucos e refrigerantes que combinavam melhor com a refeição.

A cordialidade dos tripulantes foi dentro do padrão, o conforto das poltronas é semelhante ao das versões antigas do A320, sem muita diferença.

A notável diferença foi justamente o baixo ruído dos motores, das telas individuais funcionando e com uma ampla variedade de distrações.

Lembrando que estávamos em um voo curto, e o serviço foi bom para a duração de 1h20 do mesmo.

Um ponto que vale destacar é o voo de volta, no dia 25 de janeiro, onde a aeronave estava com baixa taxa de ocupação. Não é possível saber a causa deste voo, que foi entre Congonhas e Brasília, apesar do feriado de aniversário de São Paulo, comemorado no dia 25 de janeiro, o mesmo dia do voo de retorno para Brasília.

O voo de retorno também atrasou um pouco, devido à fatores climáticos, como a forte chuva que caiu por volta das 17h naquele dia 25 de janeiro.