F-35 C mirror
O F-35C da Marinha dos EUA vou registrado voando baixo, ostentando uma pintura metálica espelhada. Foto via Redes Sociais.

Um caça F-35 Lightning II da Marinha dos EUA e um jato de ataque F-117 Nighthawk foram flagrados voando com uma estranha cobertura cromada. As aeronaves stealth foram registradas por fotógrafos na Califórnia. 

A aparição dos dois jatos furtivos ocorre depois que um F-22A Raptor da Base Aérea de Nellis (Nevada) surgiu com um revestimento metálico, em novembro do ano passado. O jato metalizado vem sendo chamado, desde então, de Zombie Raptor. 

Segundo o The War Zone, as coberturas “cromadas” podem sugerir algum tipo de campanha de testes relacionada com o desenvolvimento de sistemas IRST (Infrared Search and Track), um sensor de busca passiva por calor. 

Continua depois do anúncio

Continua depois do anúncio

Apesar de ter sido oficialmente aposentado pela USAF em 2008, o F-117 Nighthawk, primeiro jato furtivo dos EUA, segue operando. Algumas unidades do avião são usadas para simular mísseis de cruzeiro stealth ou como aeronaves aggressor, emulando aviões inimigos para treinamento de outras tripulações. 

Um fotógrafo conseguiu registrar o F-117 de acabamento espelhado enquanto voava em Eureka Dunes na Área de Operação Militar de Saline (MOA), na fronteira entre Califórnia e Nevada. A aeronave estava acompanhada de outro F-117 com a pintura padrão negra. Os dois aviões voavam baixo na região, fazendo diversos sobrevoos perto de onde o fotógrafo estava. 

A aeronave não está completamente “reestilizada”. A cobertura espelhada cobre os bordos de ataque, empenagem e parte superior da fuselagem, enquanto a barriga ainda segue com a pintura preta. 

Continua depois do anúncio

Esta não é a primeira vez que o F-117 ostenta um revestimento desse tipo, observa o portal. No início dos anos 1990, um acabamento metálico espelhado foi testado em um F-117 no âmbito do programa SENIOR SPUD. Esse programa buscou maneiras de reduzir significativamente a assinatura infravermelha do Nighthawk e provavelmente foi um progenitor do que estamos vendo hoje. Agora, quase 30 anos depois, o ‘Black Jet’ está de volta em uma capa prateada novamente.

F-117 cromado senior spud
Imagem: The War Zone.

Enquanto o F-117 já havia usado o revestimento cromado há 30 anos, essa é a primeira vez que se observa um F-35 com a cobertura. O spotter Elijah Delgadillo (@eli_aviation no Instagram) registrou em 20/01/2022 um F-35C do esquadrão de testes VX-9 Vampires ostentando o revestimento cromado enquanto voava baixo pela travessia Sidewinder, no Sequoia National Park, Califórnia. 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Elijah (@eli_aviation)

Continua depois do anúncio

Segundo o site, isto pode indicar que o programa de avaliação está ocorrendo em conjunto entre as duas forças armadas ou cada instituição está conduzindo um projeto independente. 

O layout geral do revestimento metálico observado no F-35 é quase idêntico ao visto no F-22, incluindo as bordas recortadas no meio da asa. Contudo, as imagens mais recentes mostram que o revestimento parece ser translúcido, permitindo que as marcas no jato apareçam abaixo do revestimento, mas apenas de certos ângulos. Isso faz sentido, considerando como o revestimento vai de polido a fosco a um pouco brilhante, dependendo do aspecto por onde se observa. 

Continua depois do anúncio

Como no F-22, o revestimento de material absorvente de radar (RAM) do F-35 desempenha um papel fundamental na capacidade de reduzir drasticamente o alcance no qual os radares – especialmente aqueles associados ao controle de fogo – podem detectá-los e rastreá-los.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por santos caceres (@santos_caceres.lv)

No F-22 é possível notar que o acabamento é claramente único, composto por um mosaico de pequenos ladrilhos personalizados em alguns lugares e grandes áreas semelhantes a folhas em outros, agindo como um revestimento sobre a pintura do avião.

Apesar da USAF já ter comentado vagamente sobre o assunto, a maior especulação no momento é que as coberturas metálicas são parte de uma campanha de testes para reduzir a eficácia dos sistemas de busca e rastreamento por infravermelho. Tais sensores já estão presentes em caças russos há décadas e foram se proliferando, sendo usados na maioria dos aviões dos países que os EUA poderão eventualmente enfrentar.

Foto: Elijah Delgadillo
Foto: Elijah Delgadillo

Os IRST são sensores completamente passivos, buscando o espectro infravermelho de uma aeronave para achá-la e rastreá-la. Dessa forma, a tecnologia stealth se torna, basicamente, inútil contra um sensor IRST, já que esta atua na redução da assinatura de radar de um avião. A pesquisa na área tem tornado os IRST cada vez mais avançados, dificultando a vida mesmo dos caças mais modernos como o F-35 e F-22.

Apenas agora que os EUA estão integrando sensores IRST modernos em seus caças através de pods, com o F/A-18 Super Hornet usando o IRST 21, ao passo que o F-15 e o F-16 estão recebendo o Legion Pod. A USAF também está buscando integrar um IRST no F-22, algo que era previsto para o jato durante sua concepção mas que acabou não seguindo adiante por razões de custo. 

O pod IRST Legion montado no F-15C. Foto: Ten. Lindsey Heflin/USAF.

Independente do que realmente seja, o programa de testes com revestimento metálico está se expandindo. O fato de que mais modelos de avião estão testando a cobertura cromada indica que, se for considerado eficaz, mais aeronaves deverão ser vistas com o a nova “roupagem”.