Em detalhe, motor da Pratt & Whitney equipando um Airbus A320neo.

A FAA, um órgão que regula a segurança da aviação nos EUA, exigiu que a Pratt & Whitney corrija um novo defeito encontrado no compressor dos motores PW1100G, que equipa o Airbus A320neo.

No total são 189 motores que foram afetados por esse problema, mais umq ue se acumula no histórico do PW1100G.

A diretriz para a substituição afeta o cubo dianteiro no compressor de alta pressão foi emitida no dia 28 de junho, e recomenda que as companhias acionem a P&W para fazer a substituição assim que o número de ciclos recomendados estiver próximo de ser atingido, por segurança esse número de ciclos foi encurtado, com finalidade de melhorar a segurança.

As companhias também terão um prazo de inspeção, de 120 dias a partir de julho, caso a peça esteja danificada deverão solicitar a troca da mesma.

A descoberta do erro foi através de uma companhia que opera com esse tipo de motor, durante uma inspeção de rotina os técnicos encontraram o cubo com uma corrosão, antes do período de substituição do mesmo. Se a peça não for substituída, a corrosão pode levar o cubo dianteiro a falhar, possivelmente fazendo com que o motor pare em voo.

 

Via – FlightGlobal