• Instagram
  • Feed
  • Telegram
  • Youtube

Força Aérea Argentina recebe comitiva técnica do caça F-16

Caça F-16 da Força Aérea Real da Dinamarca sobrevoando o Iraque em outubro de 2016. Foto: USAF.
Caça F-16 da Força Aérea Real da Dinamarca sobrevoando o Iraque em outubro de 2016. Foto: USAF.

A Força Aérea da Argentina (FAA) deve receber, nos próximos dias, uma delegação técnica do caça F-16 Fighting Falcon. O modelo norte-americano está entre os concorrentes para se tornar o novo avião de combate do país. 

Segundo o portal argentino Zona Militar, a equipe é composta por representantes dos Estados Unidos, Lockheed Martin (atual fabricante do F-16) e Dinamarca. A Argentina tem interesse nos F-16 MLU usados da Força Aérea Real Dinamarquesa, que está adquirindo o F-35. A comitiva deve visitar localidades que poderiam receber o F-16 caso o modelo fosse escolhido pela FAA, incluindo as, não confirmadas, VI Brigada Aérea e a Área de Material Río IV. No ano passado, uma comitiva da própria Força Aérea Argentina esteve na Dinamarca para avaliar os F-16.

F-16 AM Dinamarca RDAF

Argentina tem interesse em caças F-16 MLU aposentados da Dinamarca. Foto: RDAF.

A presença das equipes reforça o andamento das negociações entre o Comando da FAA e os EUA. Ainda assim, existem outras instâncias para o governo tomar uma decisão sobre qual será a opção mais conveniente para a Argentina, incluindo decisões políticas. Também é importante lembrar da aproximação entre Pequim e Buenos Aires e a forte presença do JF-17 Thunder como concorrente. Delegações chinesas também estiveram no país para avaliar bases e instalações militares argentinas. 

Quanto aos motivos da visita do contingente conjunto, certamente estarão relacionados às diversas avaliações técnicas que visam revelar as condições locais para operação e manutenção do F-16 como um sistema d’armas. Isso envolve sugestões para atualizar ou ter nova infraestrutura, por exemplo. 

A-4 Argentina

A-4AR Fightinghawk da Força Aérea Argentina. Foto: Rob Schleiffert (CC BY-SA 2.0).

Além do F-16 e o já citado JF-17, a FAA também avalia o indiano HAL Tejas LCA (Light Combat Aircraft). Embora possua sistemas de origem britânica, a Índia disse que pode fazer modificações que contornam o embargo do Reino Unido contra a Argentina. Das três aeronaves na disputa, o JF-17, em sua versão FC-1 fabricada na China, é o único que não possui componentes britânicos. 

A Argentina vem tentando a aquisição de novos caças desde 2015, quando aposentou seus últimos Mirage III e demais variantes, mas sempre esbarra no embargo de peças da Inglaterra, fruto do conflito das Falklands/Malvinas em 1982, polêmico até hoje. O país conta com cerca de meia dúzia de jatos A-4AR Fightinghawk, modernizados com aviônicos encontrados no F-16.

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.

 


Estudante de Jornalismo na UFRGS, spotter e entusiasta de aviação militar.