A Índia está com um plano que permite facilitar a entrada de companhias aéreas estrangeiras no país, passando o limite de 49% de participação para permitir que as companhias do exterior tenham uma participação majoritária.

As alterações do governo são focadas em evitar novas falências nas companhias aéreas do país. Muitas estão em dificuldade financeira, e outras, como a Jet Airways, já faliram. Se aprovado, a Air India pode ser salta por um grande grupo estrangeiro.

Quando você analisa as regras de propriedade de companhias aéreas na Índia, é um pouco enganador, pois o país permite 100% de propriedade de companhias aéreas baseadas na Índia, desde que tenham a aprovação do governo. Na prática isso não acontece.

Ao mesmo tempo o país aplica muitas regras que as companhias jugam como “restritivas”, como no overbooking, onde o passageiro pode receber uma compensação de 400% do seu bilhete, mesmo se for embarcado em até 24 horas em um outro voo.

Essa mesma regra foi aplicada devido ao fato do overbooking ser comum na Índia, apesar da taxa. Para muitas companhias compensa pagar essa “indenização imediata”, com valor máximo de 280 dólares.

E ao mesmo tempo a autoridade de aviação civil do país corrige pouco a falta de manutenção das aeronaves, e também do treinamento ideal dos pilotos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA