Airbus
Foto - Airbus

A Airbus pode enfrentar em breve mais um processo devido aos problemas contratuais da sua divisão militar no passado. Mais de 100 investidores holandeses, que tinham ações da empresa, estão se reunindo em uma ação coletiva contra a Airbus, alegando que a fabricante europeia causou danos financeiros aos investidores, por má conduta administrativa.

A ação coletiva solicita em um tribunal holandês que a Airbus pague pelo menos 300 milhões de euros em compensação aos investidores, devido aos prejuízos enfrentados após a compra dessas ações. O processo também nomeia os contadores KMPG e Ernst & Young como réus.

Consultada pela Reuters, a Airbus revelou que esse processo já está na justiça holandesa (no Tribunal Distrital de Haia) desde o 3º trimestre de 2021, e que tem “bases sólidas para se defender contra as acusações”. A Airbus deve se apresentar no tribunal para uma audiência no dia 06 de abril.

“Mais de 100 investidores institucionais já se juntaram à Fundação e a expectativa é de que esse número suba”, afirma o documento emitido pelos investidores. “Os prejuízos sofridos pelos atuais participantes rondam os 300 milhões de euros. À medida que mais participantes se juntarem, este número aumentará”.

Devido aos contratos assinados com práticas de suborno e corrupção nas vendas de produtos militares, em anos anteriores, a Airbus precisou pagar em 2020 uma pesada multa de US$ 4 bilhões. O processo começou em 2017, de acordo com uma publicação nossa da época.

No caso a Airbus tinha um um fundo de reserva financeira não declarado pela EADS (antigo nome do Airbus Group) somente para o pagamento de subornos, estes eram aplicados tanto em contratos do setor de Aeronaves Civis como no setor de Defesa, que negociava diretamente com vários governos.

O julgamento realizado por autoridades francesas, britânicas e americanas apontou que a empresa e seus antigos executivos se beneficiaram em contratos fraudulentos com políticos, como na venda de caças Eurofighter para a Áustria, por exemplo.

Em 2018, a empresa chegou a um acordo de € 81 milhões para encerrar uma investigação europeia, onde promotores alemães apresentavam alegações de corrupção relacionadas à venda de caças para a Áustria em 2003.

Em 2020 acionistas da Airbus nos EUA moveram um processo contra a empresa, alegando os mesmos prejuízos dos investidores holandeses. 

 

Via: Reuters e Het Financieele Dagblad

DEIXE UMA RESPOSTA