No dia 9 de dezembro, a Marinha do Brasil recebeu, nas dependências da empresa Embraer, em Gavião Peixoto (SP), a aeronave AF-1C N-1021 pelo Grupo de Fiscalização e Recebimento das Aeronaves AF-1/1A (A-4 Skyhawk).

A modernização contemplou a mudança do sistema de geração de energia elétrica, um computador central denominado RSMC (Mission Computer) que gerencia todo o processamento de dados, instalação de um RADAR multimodo, um sistema de Radar Warning Receiver (RWR), novos rádios de comunicação, instalação do sistema autônomo de geração de oxigênio (OBOGS), mudança na concepção da aeronave para glass cockpit, com a implementação de dois Color Multi-Function Display (CMFD) e de um Head-Up Display (HUD), além de um sistema Hands on Throttle and Stick (HOTAS), plenamente utilizado em navegação e no gerenciamento do emprego de armamento.

A aeronave, conhecida como “Falcão 1021”, será importante para o 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque, por se tratar de uma aeronave biposto, pois possibilita o treinamento e preparação dos pilotos, além de permitir o emprego nas diversas tarefas operativas do Esquadrão.

O projeto de modernização foi lançado pela Marinha em 2009 e a escolha da empresa responsável pela modernização de 12 caças AF-1. Porém essa número foi reduzido a seis aeronaves, devido a desativação do Porta-Aviões NAe A-12 São Paulo em 2017.

Esse projeto visa modernizar e com isso estender a vida útil das aeronaves por cerca de 10 anos. A modernização inclui a troca de antigos equipamentos de navegação e comunicação por equipamentos mais modernos.

Todas as aeronaves modernizadas receberam o radar israelense EL/M 2032, que possui os seguintes modos de operação: ar-ar, ar-mar, ar-solo e navegação, e tem como principal tarefa detectar e rastrear alvos aéreos e de superfície, além de fornecer medida de distância ar-solo para o subsistema de pontaria de armas. O radar, no sub-modo TWS (Tracking While Scan), possui capacidade de localizar e rastrear automaticamente 64 alvos, simultaneamente, marítimos ou terrestres. No modo SAR (Abertura Sintética), é possível fazer o mapeamento terrestre em operações de esclarecimento (reconhecimento).

A Marinha do Brasil adquiriu essas aeronaves da Força Aérea do Kuwait em 1997, ao todo foram compradas 23 unidades do caça McDonnell Douglas A-4 Skyhawk ou AF-1 como são conhecidos na MB.

 

Via: Marinha do Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA