Next Generation Air Dominance. Imagem: Lockheed Martin.

William Roper, ex-secretário assistente da Força Aérea para Aquisição, Tecnologia e Logística (AT&L), revelou que o programa de caça de próxima geração da Força Aérea dos Estados Unidos, o Next Generation Air Dominance (NGAD), alcançou o status de e-Series. 

A classificação e-Series foi revelada pelo Pentágono em setembro do ano passado. As aeronaves da Série E são desenvolvidas através de engenharia digital e extenso uso de ferramentas de design 3D, reduzindo custos, tempo de projeto e produção.

A engenharia digital permitiu que o primeiro avião da série, o Boeing-Saab T-7A Red Hawk, fosse projetado digitalmente e construído em apenas 36 meses, um feito não realizado desde os anos 50 com caças de terceira geração. Dessa maneira, a aeronave será redesignada eT-7A Red Hawk. 

O jato de treinamento T-7A Red Hawk é o primeiro e-Series. Foto: Boeing

Roper também lançou um ensaio sequencial que estabelece critérios para programas de engenharia digital, em uma apresentação chamada de “There is No Spoon”, com tema baseado no filme Matrix. 

“A engenharia digital leva a tecnologia de criação em computador para o próximo nível, renderizando não apenas o design de sistemas complexos, mas sua montagem, ambiente e até mesmo desempenho físico em realidade virtual de alta potência”, disse Roper. 

Roper também afirmou que o NGAD não é o único programa a atender recentemente aos 14 critérios e obter a designação da e-Series. O ex-secretário afirmou que os programas de substituição dos motores do B-52 Stratofortress, substituição de asas do A-10 Thunderolbt II e o de Dissuasão Estratégica Terrestre, para substituição de mísseis balísticos intercontinentais, também atingiram o status de e-Series. 

Roper indica que este é apenas o começo, e se a Força Aérea e a Força Espacial puderem abraçar totalmente a engenharia digital, uma verdadeira evolução digital poderá ocorrer.


Via DefPost

DEIXE UMA RESPOSTA