A BOOM Supersonic anunciou recentemente que conseguiu o montante de US$ 100 milhões para desenvolver o protótipo do seu novo avião supersônico, por enquanto só uma aeronave que vai confirmar as novas tecnologias que serão incorporadas no avião maior.

Com a injeção de capital a empresa passou a ter US$ 141 milhões para investimento, e já mudou razoavelmente o seu projeto, que agora pode levar 55 passageiros e voar a Mach 2.2.

Apesar de ter todo esse montante a BOOM estima que precisará de US$ 6 bilhões para desenvolver totalmente e certificar essa aeronave supersônica. Um valo compatível com o investimento em um novo projeto de aviação, para aeronaves deste porte.

A BOOM já emprega pelo menos 100 funcionários, que trabalham em Denver para desenvolver o protótipo, que deve realizar o seu primeiro voo ainda em 2019. Só para construir essa aeronave a empresa vai gastar US$ 33 milhões, mas é o caminho para provar tecnologias que provem a eficiência e capacidade do projeto.

A foco da empresa é construir um avião que permita viagens supersônicas sem que os passageiros paguem a mais por isso, para o presidente da empresa o ideal para o Overture seria a comercialização de bilhetes com o mesmo valor da Classe Executiva em companhias aéreas tradicionais que voam com aviões subsônicos.

O projeto já tem apoio do Virgin Group, do bilionário Richard Branson que também está envolvido com o desenvolvimento de novas tecnologias no ramo espacial. Além disso a Japan Airlines (JAL) assinou uma carta de intenção de compra, onde garantiu um investimento no projeto. Branson também já encomendou 10 aeronaves Overture.

A BOOM disse que há um interesse firme de empresas para até comprar 76 aeronaves.