A Qatar Airways era a cliente de estreia do Airbus A320neo, até a própria fabricante anunciar que a primeira aeronave seria entregue com “uma característica de fábrica” nos motores Pratt & Whitney PW1100G.

A companhia aérea então recusou receber a aeronave, ainda em 2015, e desde então vem renegociando com a Airbus a entrega das aeronaves da sua encomenda, que já foi alterada até mesmo para o A321neo, após a companhia encomendar o 737 MAX 8.

E nesta semana a Qatar Airways optou por desistir da sua encomenda atrelada aos motores da Pratt & Whitney, que deram vários problemas operacionais desde a estreia no A320neo, e agora optou por motores CFM Leap-1A.

O motor está rapidamente se tornando a escolha de compradores exigentes devido, em parte, aos problemas de confiabilidade dos propulsores PW.

De acordo com a Bloomberg , 9% dos A320neos com LEAP estavam fora de serviço por pelo menos uma semana em julho de 2017, em comparação com 46% daqueles que usavam o PW1100G.

A vantagem do A321neo na frota da Qatar é que a aeronave comporta até 240 passageiros, enquanto o A320neo pode levar no máximo 189. Ao todo são 50 encomendas para o A321neo, com entregas a partir do próximo ano.