RC-135 Rivet Joint RAF reconhecimento
RC-135W Rivet Joint ZZ664 na sua base em RAF Waddington.

O Ministério da Defesa da Rússia informou nesta quinta-feira (11) que um caça foi despachado para interceptar um avião-espião RC-135 Rivet Joint britânico. A aeronave estava voando no Mar Negro, perto da Crimeia, península da Ucrânia que foi anexada pela Rússia em 2014. 

Em comunicado, a pasta informou que quatro aeronaves de reconhecimento da OTAN foram detectadas e acompanhadas por radares russos nas últimas 24 horas. Um U-2S, dois P-8A Poseidon e um RC-135 sobrevoaram as porções noroeste e central do espaço aéreo sobre o Mar Negro. 

Entre meio-dia e 15h de ontem, um RC-135W Rivet Joint da Força Aérea Real se aproximou da fronteira estadual da Rússia, pela região sudoeste da Crimeia. Como resposta, um caça Sukhoi Su-30 foi enviado para interceptar e escoltar o jato de reconhecimento da RAF. O RC-135W é uma aeronave de reconhecimento eletrônico, captando uma série de sinais de rádio, radar e demais equipamentos de comunicação e vigilância. 

“A uma distância de cerca de 30 quilômetros da fronteira russa, um caça a jato russo Su-30 aproximou-se do avião de reconhecimento, após o que o avião britânico mudou o curso para longe da fronteira russa.”

No dia 27/10, um grupo de aeronaves russas foi interceptado por caças F-16 e F-35 da Noruega. Uma semana antes, bombardeiros B-1B dos EUA que voavam pelo Mar Negro foram interceptados por caças Su-30 da Rússia

Além das movimentações no ar, o destróier USS Porter e o navio de comando USS Mount Whitney navegam rumo oeste no Mar Negro. As duas embarcações da Marinha dos EUA são monitoradas pela fragata Almirante Essen e o cruzador Moskva, da Frota do Mar Negro. 
A movimentação de ativos militares de reconhecimento tem causado tensões entre Moscou e a OTAN. Segundo a Reuters, Putin disse a Merkel por telefone que as ações ocidentais na região do Mar Negro foram desestabilizadoras, perigosas e provocativas. 

 

O Ministério da Defesa russo considera a atividade militar dos Estados Unidos e seus aliados na região do Mar Negro um estudo do teatro de guerra previsto, caso a Ucrânia prepare uma solução de poder para o conflito no sudeste. A Rússia anexou a Crimeia da Ucrânia em 2014 e diz que as águas ao redor pertencem a Moscou agora, apesar da maioria dos países continuar a reconhecer a península como ucraniana.

DEIXE UMA RESPOSTA