KC-390 Antártica cargas lançamento FAB
KC-390 lançou cerca de 2,3 toneladas de suprimentos na EACF. Fotos: Sargento Müller Marin/CECOMSAER/FAB

O final da última semana ficou marcado pela primeira participação do KC-390 Millennium da Força Aérea Brasileira (FAB) na Operação Antártica (OPERANTAR). Esta era uma missão já bastante aguardada para o avião, que está em serviço na Força Aérea desde 2019.

Na segunda-feira (04), a FAB deu mais detalhes e relatos sobre o lançamento de cargas de suprimento do Millennium na Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF). A Aeronáutica também preparou um álbum no Flickr com 71 imagens do KC-390 na operação. 

Foto: Sargento Müller Marin/FAB.

A missão é realizada pelo Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1°GT), o Esquadrão Gordo, que tem sede na Base Aérea do Galeão (RJ). Há 39 anos a FAB tem contribuído com a presença brasileira na EACF, especialmente com os C-130 Hércules operados pelo Gordo.

A unidade transporta cargas, víveres, equipamentos, roupas e cartas para a estação. Isso ocorre em até dez viagens por ano.

Apesar de versáteis, os Hércules já mostram os sinais da idade e o KC-390 veio justamente para substituí-los. Nas últimas duas participações do C-130 na OPERANTAR, a aeronave sofreu panes no motor. Nestas ocasiões, um KC-390 foi enviado com peças e motores sobressalentes para “resgatar” o C-130

Foto: Sargento Müller Marin/FAB.

A Chefe da seção de operações do Esquadrão Gordo, Major Joyce de Souza da Conceição, comenta a nova fase operacional, com o C-130 Hércules sendo substituído pelo KC-390 Millennium, nas missões futuras no Continente Antártico.

“O cumprimento dessa missão hoje representa um marco para a FAB, um momento histórico para o Esquadrão. A aeronave C-130, durante 39 anos, cumpriu com excelência o programa antártico brasileiro e, no dia de hoje, cada integrante que faz parte dessa história pode sentir-se orgulhoso ao ver refletido no que foi feito o seu legado de abnegação, dedicação, profissionalismo”, relata a piloto.

Foto: Sargento Müller Marin/FAB.

A missão com o KC-390 teve início com a decolagem da Base Aérea do Galeão (BAGL), no dia 30/06 às 8h23 (horário de Brasília) rumo a Estação Antártica, para apoiar a Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR). 

Esquadrão Gordo na missão

O Esquadrão Gordo, responsável pela Missão de Ressuprimento Aéreo, utilizou o método CDS, (do inglês Container Delivery System), com o lançamento da carga acondicionada em oito pacotes. Aproximadamente 2.000 quilos de suprimentos materiais foram enviados para os integrantes da Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF). 

Foto: Sargento Müller Marin/FAB.

“O KC-390 está sendo colocado à prova para poder lançar cargas  pelo CDS na Baía do Almirantado. Na região, os ventos giram em torno de 100 km/h, isso é um desafio tanto para a tripulação quanto para o aparelho de pontaria, que precisa posicionar a aeronave na condição de lançamento, sem margem de erro, permitindo, assim, que o sistema faça o calculo correto, prevendo o lançamento da carga na zona estabelecida pela Marinha do Brasil. Nesse sentido, salienta-se que a altura do lançamento é entorno de 200 metros (600 pés) em uma velocidade de 150kt. Cerca de 270km/h”, explica o Comandante da Missão, Major Aviador Flávio Diniz Pereira.

O Major Flávio Diniz já concedeu entrevista ao Portal Aeroflap, onde contou como está sendo o processo de implantação do KC-390 na FAB. 

Equipes envolvidas

Para o sucesso de toda missão, uma série de requisitos precisam ser checados. Dessa forma, em um ambiente totalmente diferente e diante de todo o desafio, diversos profissionais estiveram envolvidos.

Foto: Capitão de Fragata Gurski/EACF

O Chefe da Estação Antártica Comandante Ferraz, Capitão de Fragata Alessandro Domingos Gurski, destacou a importância da chegada dos suprimentos, levados pela FAB.

As maiores limitações na Estação são o afastamento da família e nossa alimentação. A primeira a gente consegue suprir com ligações, já a segunda, temos a limitação de alimentos frescos, frutas e verduras, mas isso é possível com a ajuda da Força Aérea Brasileira, nos voos de inverno. No verão, recebemos a ajuda dos navios da Marinha do Brasil vindos de Punta Arenas, assim conseguimos superar as dificuldades sem muitos problemas”, conta o militar.

Neste processo, também há o envolvimento do Mestre de Cargas. Para o Sargento Daniel Carvalho no Peixoto de Barros, que atua como Loadmaster no Esquadrão Gordo, a responsabilidade para o cumprimento da missão é grande.

Foto: Sargento Müller Marin/FAB.

“Um lançamento de carga a 200 metros do solo requer muita atenção dos tripulantes, principalmente dos Loadmasters, apesar de ser uma carga leve.  A partir do momento que abre a porta de carga e rampa, para o lançamento, a atenção tem que estar 100% no que vai acontecer”, explica o Sargento.

“Aos tempos e movimentos, cada luz tem um procedimento e temos que estar muito atentos a isso; luz vermelha, luz amarela e, principalmente, luz verde, que é o momento em que a carga é solta, quando esperamos que tudo aconteça da melhor forma possível.”

Foto: Sargento Müller Marin/FAB.

Outra profissional que integrou a missão, foi a Instrutora Mecânica do KC-390 do 1°/1° GT, Sargento Ivy Amaral da Costa. Para ela, integrar o grupo como a primeira mulher a estar, pela primeira vez, a bordo do novo avião de transporte da FAB no Continente Artártico, foi uma satisfação pessoal e profissional. 

Foto: Sargento Müller Marin/FAB.

“A aeronave no clima frio precisa de alguns cuidados, como remoção e estoque de alguns componentes  para que se possa ter confiabilidade  de que nas próximas operações esses equipamentos irão funcionar. Ser a primeira mulher instrutora mecânica é motivo de honra. Agradeço  a confiança dos meus superiores para atingir essa meta, abrindo, com isso, as portas para as próximas que virão”, finaliza.

Estação Comandante Ferraz

A EACF é uma base antártica pertencente ao Brasil e está localizada na Ilha do Rei George, cerca de 130 quilômetros da Península Antártica, na baía do Almirantado, sendo considerada uma das maiores estações de pesquisa da Antártica.

A estrutura conta com 17 laboratórios para o estudo de várias áreas como: medicina, química, microbiologia, oceanografia e meteorologia.

Foto: Sargento Müller Marin/FAB.

No inverno, período em que o mar está congelado, o acesso torna-se ainda mais difícil, sendo necessário realizar lançamento aéreo de cargas para possibilitar o abastecimento de medicamentos, equipamentos e mantimentos que suprem a EACF. A base antártica, mantida pela Marinha do Brasil (MB), desenvolve diversos estudos, denotando a prioridade do PROANTAR para as atividades científicas.

Via FAB, adaptado por AEROFLAP