O B-1B 85-0074 deixando a Base Aérea de Edwards, na Califórnia, na última quinta-feira (23). Foto: Katherine Franco/USAF.

O Comando de Ataque Global da Força Aérea dos EUA (AFGSC) concluiu, na última quinta-feira (23), a aposentadoria de 17 bombardeiros supersônicos Rockwell B-1B Lancer, anunciada no ano passado.

Na quinta-feira, o B-1B de registro 85-0074 decolou da Base Aérea de Edwards, na Califórnia, com destino à Base Aérea de Davis-Monthan, no Arizona, onde será armazenado no infame “Cemitério de Aviões” no deserto pelo 309º Grupo de Regeneração e Manutenção Aeroespacial. O primeiro B-1 foi retirado da frota em fevereiro.

A USAF, através do AFGSC, decidiu aposentar 17 aeronaves, reduzindo de 62 para 45 o número de aviões ativos. Dos 17 bombardeiros aposentados, um foi enviado para a Base Aérea de Tinker (Oklahoma) como protótipo para serviços de reparo estrutural; outro foi para Edwards para ser usado em testes de solo; outro foi para a Base Aérea de Barksdale (Louisiana), onde será preservado no Museu Barksdale Global Power e um foi enviado para servir como um objeto de estudos da Universidade Estadual de Wichita.

“O plano de desinvestimento foi executado sem problemas”, disse o General-Brigadeiro Kenyon Bell, Diretor de Logística e Engenharia do AFGSC. “Com menos aeronaves na frota, os especialistas serão capazes de dar mais tempo e atenção à cada aeronave restante na frota.”

Foto: Katherine Franco/USAF.

As outras 13 aeronaves remanescentes serão enviados para o Arizona, onde serão armazenadas no deserto pelo 309th AMARG. Quatro aviões serão reservados no armazenamento Tipo 2000, onde recebem mais cuidados e podem ser recolocados em serviço em um certo tempo, ao mesmo tempo que são canibalizados. Os outros serão do armazenamento Tipo 4000. Nesse, as aeronaves mais antigas e desgastadas da frota são totalmente desmontadas e canibalizadas.

Segundo o AFGSC, a retirada das aeronaves não afetou a letalidade da força ou qualquer mão de obra de manutenção associada, e permitiu que os oficiais concentrassem a manutenção e a mão de obra a nível de depósito nas aeronaves restantes, aumentando a prontidão e abrindo caminho para a modernização da frota de bombardeiros para enfrentar os desafios futuros.

A aposentadoria dos aviões também prepara a USAF para receber seu novo bombardeiro stealth, o B-21 Raider. A Northrop-Grumman está produzindo cinco protótipos da nova aeronave furtiva. Ao aposentar essas aeronaves agora, o AFGSC pode se concentrar em priorizar a saúde da frota atual, incluindo esforços de modernização, para tornar a frota de bombardeiros mais letal e capaz em geral, acrescentou Bell.

Foto: Katherine Franco/USAF.

“Começar a aposentar esses bombardeiros nos permite preparar o caminho para o B-21 Raider”, disse o General Bell. “As operações contínuas ao longo dos últimos 20 anos afetaram nossa frota de B-1B, e as aeronaves que aposentamos teria custado entre 10 e 30 milhões de dólares por aeronave para voltar a uma frota de status quo no curto prazo até a chegada do B-21.”

DEIXE UMA RESPOSTA