• Instagram
  • Feed
  • Telegram
  • Youtube

Voa o 2º protótipo do KF-21, novo caça sul-coreano

Primeiro voo do 2º protótipo do caça sul-coreano KAI KF-21 Boramae.
Primeiro voo do 2º protótipo do caça sul-coreano KAI KF-21 Boramae. Foto via @Fighterman_FFRC

A Coreia do Sul segue avançando no programa do KF-21 Boramae, seu novo caça de 4.5 Geração. O segundo protótipo da aeronave decolou pela primeira vez na manhã de quinta-feira (10). 

O voo da aeronave ocorre quase quatro meses depois do primeiro voo do primeiro protótipo. De acordo com a Administração do Programa de Aquisição de Defesa (DAPA), o KF-21 002 decolou sob os comandos de um piloto da 3ª Ala de Treinamento da Base Aérea de Sacheon, a cerca de 300 km da capital Seul. 

A Agência ainda diz que após o voo bem-sucedido, de aproximadamente 35 minutos, os novos testes serão conduzidos empregando os dois protótipos. “Depois de concluir os preparativos para os testes de solo e testes de voo, as Unidades Protótipo 3 a 6 estão programadas para iniciar os testes de voo sequencialmente do final de dezembro de 22 até a primeira metade de 23”, diz a DAPA. 

O segundo protótipo possui cores diferentes que, segundo a DAPA, objetiva a revisão da pintura mais adequada para as futuras aeronaves de produção. Assim como seu antecessor, o jato voou carregado com quatro mísseis Meteor de longo alcance, instalados na fuselagem. 

O KF-21 Boramae é fruto do projeto KF-X, que busca o desenvolvimento de um caça nacional para substituir os antigos F-4 Phantom II e F-5 Tiger II, além complementar a frota de F-15K, KF-16 e F-35 do país. O programa é realizado em conjunto com a Indonésia.

Apesar de possuir design semelhante ao do F-22 e F-35, o KF-21 não é um jato stealth, mas sim de 4.5 Geração como o Dassault Rafale e Sukhoi Su-35. Ao contrário dos aviões stealth, o Boramae vai carregar todos seus armamentos externamente, em 10 pontos duros nas asas e fuselagem, o que logicamente aumenta sua assinatura radar.

As primeiras versões, chamadas de Block I, serão dedicas ao combate aéreo, carregando apenas mísseis ar-ar e o seu canhão interno. Posteriormente a Coreia do Sul vai evoluir o avião, permitindo que ele possa receber bombas e mísseis para ataque ao solo. 

A KAI espera começar a produção seriada até meados de 2026. A Força Aérea Sul-Coreana (ROKAF) espera contar com mais de 120 unidades do novo caça até 2032. O projeto também conta com a parceria vital da GE Aviation, responsável por fornecer os motores F414, os mesmos utilizados no SAAB JAS 39E/F Gripen e o F/A-18E/F Super Hornet, e da Martin-Baker, que produz os assentos ejetáveis Mk.18.

 

Quer receber nossas notícias em primeira mão? Clique Aqui e faça parte do nosso Grupo no Whatsapp ou Telegram.

 


Estudante de Jornalismo na UFRGS, spotter e entusiasta de aviação militar.