Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Vulcão Pacaya na Guatemala

A erupção de mais um vulcão chegou a afetar as operações de um aeroporto, agora na Guatemala. As cinzas do Vulcão Pacaya avançaram sobre o Guatemala City La Aurora Airport (MGGT) afetando as operações e os aviões que se encontravam em solo no momento.

Como resultado várias aeronaves ficaram cobertas da cinza abrasiva, além do local necessitar de uma limpeza geral no pátio e na pista, sendo que este serviço já está sendo realizado.

O Exército da Guatemala foi chamado para ajudar na limpeza do local, como forma de agilizar a conclusão de todo o serviço. A queda de cinzas está acontecendo desde ontem (22) em vários locais do país.

Nas últimas semanas a Guatemala está recebendo suas primeiras doses de vacina contra a Covid-19, a carga é transportada sempre por via aérea.

Abaixo podemos ver um pouco sobre o serviço de limpeza do local:

https://twitter.com/guatemala_dgac/status/1374481596393213960

O Aeropuerto Internacional La Aurora também teve as suas operações suspensas na tarde desta terça-feira (23) e há um alerta de vulcão para os aviões que sobrevoam as proximidades.

“Devido à mudança de direção do vento de sul para norte e ao aumento da atividade vulcânica do Pacaya, existe presença de cinza vulcânica no Aeroporto La Aurora, razão pela qual, cuidando da segurança operacional as operações foram encerradas”, declarou no Twitter Francis Argueta, presidente da Direção Geral de Aeronáutica Civil (DGAC).

A cada hora o serviço de meteorologia atualiza as condições para os moradores localizados nas proximidades do Vulcão Pacaya, e para outros serviços. Alguns clientes estão sendo alocados por enquanto para voos a partir do Aeroporto de El Salvador, em outro país.

O vulcão Pacaya está em atividade pelo menos há um mês. Localizado a 2552 metros de altitude, o vulcão entrou em atividade pela última vez em 2010, emitindo uma grande quantidade de lava.

 

Porque os aviões não podem encontrar cinzas vulcânicas durante o voo?

O avião é capaz de voar em diversas condições, com uma poluição muito forte, neblina, nevasca e até mesmo com forte chuva, mas as cinzas vulcânicas podem causar problemas em aeronaves.

A composição básica da cinza vulcânica é com base em materiais vitrificados, silicatos e rochas pulverizadas (em partículas bem pequenas). Além de ter uma densidade muito alta, o que pode entupir dutos, não permitir a visão externa e causar outros defeitos, esses componentes quando entram em contato com o calor interno do motor, que extrapola os 900º C na câmara de combustão.

Quando em alta velocidade, tanto as pás do motor como a fuselagem podem sofrer com o efeito de “lixa” da poeira nessas condições, lembrando, aqui temos silicatos e compostos vitrificados de alta dureza, indo contra um motor com milhares de rotações por minuto e a um avião que está a 850 km/h.

Cinzas vulcânicas depositadas em estado sólido na turbina de um motor aeronáutico.

O mesmo silicato, que pode ter esse efeito de lixa nas pás, deformando o formato das mesmas, também causa danos quando entra no motor da aeronave, visto que ele encontra a câmara de combustão em alta temperatura e forma uma camada de sólida nas pás da turbina.

Dessa forma temos um motor incapaz de funcionar, com erosão precoce do compressor, a turbina com dejetos de fumaça vulcânica e a turbina com restrição de passagem de ar, além da deformação do formato das pás, pelo acúmulo de material sólido.