Foto - Boeing/Reprodução

No final de abril a Avianca Colombia precisou lançar uma nota sobre seu controle acionário, essa nota era direcionada ao mercado que estava agitado com a possibilidade da United Airlines assumir o controle da Avianca Holdings, após os irmãos Efromovich quebrarem termos de um empréstimo.

Este empréstimo colocava como garantia as ações da companhia Avianca Colombia (Avianca Holdings), e abria possibilidades para a United assumir o controle da unidade colombiana, a partir da propriedade do Synergy Group.

Em novembro de 2018, a BRW tomou emprestados US$ 456 milhões da United, garantidos pelo patrimônio da BRW e suas 516 milhões de ações ordinárias da Avianca. Vale ressaltar que o Synergy Group utilizou da subsidiária para blindar o capital das suas ações, assim como realizou o mesmo na Avianca Brasil em 2018.

German Efromovich, que administrava o Synergy Group juntamente com o José Efromovich, seu irmão.

Esse contrato de empréstimo violado levou à alterações em outros contratos da Avianca Colombia, como forma de ajusta seu financeiro e evitar que esses contrato sejam rescindidos no caso de uma mudança de controle.

A BRW, da Synergy Group constituída em Delaware, possuía cerca de 78,1% das ações ordinárias da Avianca Holdings, o grupo que controla a Avianca Colombia. Agora o Sinergy Group, dos irmãos Efromovich, terão que passar o controle acionário para a United Airlines nas próximas horas, através da Kingsland.

O repasse das ações será através de um processo que corre na justiça colombiana, impetrado pela United Airlines nesta sexta-feira (24/05)

Essa complicada situação ocorre no mesmo momento que os irmãos Efromovich tiveram as operações da Avianca Brasil suspensas pela ANAC. A companhia enfrenta um período de Recuperação Judicial desde dezembro, e pode entrar em falência nos próximos dias.

 

Operações no Brasil

A Avianca Colombia já iniciou as negociações para fazer uma parceria de compartilhamento de voos com outra companhia brasileira, após o desmonte da malha da filial brasileira, que até então era parceira.As conversas estão ocorrendo com a Azul, GOL e LATAM Brasil, para avaliar a possibilidade do codeshare.

Além disso, a companhia colombiana já está buscando funcionários para serviço de solo, antes realizado pela Avianca Brasil, que abandonou suas operações em aeroportos chaves, como Guarulhos e Galeão.

 

Crise e reformulação das rotas

Recentemente o presidente-executivo da empresa colombiana, Hernan Rincon, renunciou o cargo e deixou a companhia no final do mês de abril, isso pressiona ainda mais o administrativo da empresa, que sofre com efeitos não financeiros da crise enfrentada pela Avianca Brasil e Avianca Argentina.

Não há um claro panorama financeiro da Avianca Colombia para 2019, apesar da empresa ter capital aberto e precisar declarar suas ações para os acionistas.

A Avianca fez um plano de expansão visando ultrapassar o Grupo LATAM, juntamente com ajuda das suas “subsidiárias” no Brasil, Argentina e Peru, que detêm direito de uso do nome, mas desde o final de 2018 continua anunciando adiamento das entregas de aeronaves, cancelamento de encomendas para novos aviões, e reduzindo o número de voos.

Anteriormente a companhia disse que está passando por um sério plano de transformação para melhorar a lucratividade, cancelando várias rotas domésticas e internacionais. A Avianca também declarou que está trabalhando para padronizar sua frota, e diminuir custos.