Sukhoi SSJ100

Nos últimos meses a estatal russa UAC divulgou que estava estudando uma versão modernizada do seu jato regional, projetado inicialmente pela Sukhoi, o SSJ100.

A modernização do pequeno avião regional é mais uma aposta da Rússia para ampliar as vendas da aeronave, que há anos engatinham, após vários problemas de projeto, produção e pós-venda.

A modernização é apoiada em um novo motor russo, o PD-8 fabricado pela Aviadvigatel, este projeto deriva de outro motor também russo, o PD-14, que equipa o Irkut MC-21.

O mesmo PD-14 está sendo utilizado para criar um outro motor, com uma potência bem superior ao PD-8, com foco em equipar o novo CR929, fabricado pela UAC e COMAC.

E recentemente a United Engine apresentou mais detalhes do PD-8, revelando os primeiros componentes do novo motor.

Na imagem acima temos o compressor de alta pressão do novo motor, juntamente com a primeira parte da câmera de combustão (à esquerda) e a conexão com o compressor de baixa pressão (à esquerda).

Outros componentes ainda serão produzidos pela Aviadvigatel em 2021, e a montagem final deverá ocorrer ao longo de 2022, juntamente com os primeiros testes em solo.

O PD-8 utiliza um projeto totalmente novo, em comparação com os atuais motores PowerJet SaM146. O projeto utiliza a atualização com um eixo de dois sentidos, assim como no PD-14, e o mesmo conjunto de materiais de alta resistência.

O foco da UAC agora é tentar evitar o uso de fornecedores externos, como no caso do atual SSJ100, para evitar problemas com o fornecimento de peças da aeronave aos clientes. Muitos componentes do novo SSJ100 serão fabricados na Rússia, pelas próprias empresas da UAC.

O novo projeto se estenderá ao interior do avião, que ficará mais moderno, e também aos instrumentos de navegação e energia. Recentemente a Sukhoi apresentou novas winglets ao SSJ100, reduzindo o consumo em 4%.

Além disso, o novo SSJ100 terá uma versão menor, a possível SSJ75, para atender o mercado de 75 a 85 passageiros. 

Espera-se que um novo SSJ100 esteja disponível no mercado a partir de 2025.