Dassault Rafale
Dassault Rafale francês. Foto: Julien Fechter/Força Aeroespacial Francesa.

Em um contrato histórico, os Emirados Árabes Unidos assinaram hoje (03) a compra de 80 caças Dassault Rafale e 12 helicópteros Airbus H225M Caracal.

O negócio, avaliado em 17 bilhões de euros, aponta o Governo Francês, foi assinado na presença do Presidente Emmanuel Macron, do Sheik Mohammed ben Zayed Al Nahyane, Príncipe Herdeiro de Abu Dhabi e Vice-Comandante das Forças Armadas dos EAU, Eric Trappier, presidente e CEO da Dassault e Tareq Abdul Raheem Al Hosani, CEO do Conselho Econômico de Tawazun, responsável pelas aquisições de segurança e defesa do país. 

O contrato é inédito pois é a maior compra unitária de um cliente de exportação do caça francês. Além disso, todos serão da variante F4, a mais avançada e que ainda se encontra em fase de testes.

A mais recente vitória da Dassault e da França ocorre pouco mais de uma semana depois que a Croácia oficializou a compra de 12 Rafales para substituir seus antigos MiG-21. Em setembro, a Grécia anunciou o desejo de comprar mais seis caças. Já o Egito fechou a compra de mais 30 Rafales no Dubai Airshow.

Piloto no assento traseiro de um Rafale B F4.1 com o sistema Scorpion montado no capacete. Imagem: DGA/Captura de tela.

Segundo a fabricante, este contrato é o resultado da mobilização total da Dassault Aviation ao lado da Força Aérea dos Emirados Árabes e vem na parte de trás de uma relação de confiança de mais de 45 anos entre os Emirados Árabes Unidos e a empresa, construída sobre a família de caças Mirage, notavelmente o Mirage 2000-9, cuja modernização começou há dois anos.

“Este é um resultado da parceria estratégica entre os dois países, consolidando a sua capacidade de atuar em conjunto pela sua autonomia e segurança”, disse o Governo Francês em comunicado. 

No Twitter, a Ministra da Defesa Florence Parly celebrou a assinatura do acordo: “uma parceria estratégica mais forte do que nunca. Orgulho de ver a excelência industrial francesa no topo.”

“A venda de 80 Rafale para a Federação dos Emirados Árabes Unidos é uma história de sucesso da França: estou muito orgulhoso e muito feliz com o resultado. Desejo agradecer às autoridades dos Emirados por sua confiança renovada em nossas aeronaves”, disse o CEO da Dassault. 

“Após o Mirage 5 e o Mirage 2000, este contrato Rafale consolida a relação estratégica que une nossos dois países e a satisfação da Força Aérea dos Emirados, parceira de longa data e exigente de nossa empresa. Desejo sublinhar a qualidade e eficácia da relação entre as autoridades francesas e a indústria, que contribuíram para este sucesso da equipe França.”

Mirage 2000-9DAD
Caças Mirage 2000-9DAD da Força Aérea dos Emirados Árabes Unidos. Foto: Dassault.

A compra dos Rafales também pode ser um sinal ruim para a Rússia. Neste ano, a Sukhoi apresentou o Su-75 Checkmate, novo caça de 5ª Geração. A aeronave, que deve voar apenas em 2023, é voltada ao mercado de exportação e os Emirados Árabes são uma das nações vistas com cliente em potencial. 

Além disso, Abu Dhabi já tem um forte interesse no F-35 Lightning II dos EUA. A compra de 50 destes caças foi cancelada temporariamente em janeiro, logo após a posse de Joe Biden. No entanto, em abril, a nova administração decidiu seguir em frente com o negócio. Ainda assim, nenhum contrato foi oficializado até o momento. 

Steve Trimble, do Aviation Week, observa que a recente compra de Rafale pode diminuir o o número de F-35 adquiridos, mas não deve impedir o acordo com Washington. 

DEIXE UMA RESPOSTA