Sukhoi LTS Checkmate. Imagem via redes sociais.

Dmitry Shugayev, Diretor do Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar da Rússia, afirmou que o Sukhoi LTS Checkmate, novo caça de quinta geração apresentado na última terça-feira (20) vai competir com os aviões de combate mais avançados no mercado global de armas, incluindo o Saab JAS-39 Gripen sueco e o Dassault Rafale francês. O funcionário falou com jornalistas ontem (21) durante o Salão Aeroespacial Internacional MAKS 2021. 

Shugayev enfatizou que “o avião tático leve é ​​principalmente uma aeronave projetada para exportação. Cientes de suas características de voo, capacidades de ataque e reconhecimento e baixa vulnerabilidade ao radar, prevemos que o caça competirá ferozmente com seus concorrentes. Nós o vemos como um rival para os principais fabricantes ocidentais dos chamados caças monomotores de quinta geração.”

O avião tático leve permitirá à Rússia garantir um novo nicho no mercado mundial de aviação de combate, destacou ele à agência TASS. “Com a ajuda deste produto, esperamos ganhar uma posição promissora no mercado desses aviões”, diz o Diretor, que também afirma que o novo caça monomotor russo vai competir com o Saab Gripen e o Dassault Rafale. Países do Oriente Médio, Sudeste Asiático e Norte da África são vistos como compradores potenciais do Checkmate da Rússia, observou. 

O cockpit do Sukhoi LTS Checkmate. A aeronave apresenta um display panorâmico, semelhante ao encontrado no Gripen E, F-15EX Eagle II, F-35 e Super Hornet Block III. Imagem via redes sociais.

A nova aeronave leve tática da Rússia terá uma alta relação custo/eficiência, enfatizou Shugayev. “Considerando que a aeronave está destinada à exportação, seu preço estará entre seus principais indicadores e vantagens”, ressaltou. Segundo Sergei Chemezov, CEO da estatal Rostec, o Su-75 custará por volta de US$ 25-30 milhões. 

“Este é um caça leve de quinta geração. Versões semelhantes existem no mundo e incluem o F-35, o Gripen e o Rafale. No entanto, nos propusemos a entregar um avião muito barato e eficaz. Seu preço será cerca de US $ 25-30 milhões, enquanto o preço de seus rivais vai variar entre US $ 60 milhões e US $ 90 milhões”, disse Chemezov. Porém, o Gripen e o Rafale são aeronaves de geração 4.5/4++.  

O Sukhoi LTS foi oficialmente apresentado no primeiro dia do Salão MAKS e tem sido a atração principal do show aéreo que ocorre entre os dias 20 e 25 de julho no Aeroporto de Zhukovsky, localizado nos arredores de Moscou. Também chamado informalmente de Sukhoi Su-75, o novo avião de combate russo deve fazer seu primeiro voo em 2023 e ser entregue aos primeiros clientes a partir de 2026. 
Junto do mock-up do Su-75/Checkmate foram apresentados mísseis ar-ar RVV-SD e RVV-MD e o míssil de cruzeiro Kh-59MK. Foto: Sergei Fadeichev/TASS.
 
O sueco Gripen e o francês Rafale “competiram” com o F/A-18 Super Hornet para se tornar o novo caça da Força Aérea Brasileira, durante o Projeto FX-2. Dentre os três, o avião da Saab foi escolhido no final de 2013, com a FAB recebendo a primeira unidade em cerimônia na Suécia em 2019, aeronave que atualmente está sendo usada na campanha de ensaios e certificação. As primeira unidades operacionais devem chegar ao Brasil ainda neste ano
F-39E Gripen durante testes de Water Spray na Embraer. Foto: SAAB/Divulgação.
Na Finlândia, Gripen e Rafale “correm” contra o F-35 da Lockheed Martin, o Super Hornet da Boeing e o Eurofighter Typhoon para substituir os F/A-18C/D Hornet finlandeses. O Gripen também foi oferecido ao Canadá e às Filipinas
Recentemente, o Rafale tem obtido vitórias contratuais. A Grécia recebeu ontem o primeiro de 18 caças adquiridos em janeiro, sendo 12 usados pela Força Aérea Francesa e outros seis novos de fábrica. O Egito, que já tem 24 Rafales em serviço, anunciou a aquisição de mais 30 unidades em maio, enquanto a Croácia selecionou o caça francês como substituto dos MiG-21 Fishbed de origem soviética, devendo comprar 12 aeronaves. 
 
O primeiro Rafale grego, entregue ao cliente no dia 21 de julho. Foto: Dassault.

Contratos de exportação

Ainda no MAKS 2021, Alexander Mikheyev, CEO da Rosoboronexport, exportadora estatal russa e uma das empresas membro da Rostec, afirmou à repórteres que a companhia assinou 13 contratos de exportação de suprimentos de defesa no valor de 1 bilhão de euros. 

Mikheyev disse à TASS que a Rosoboronexport usou o potencial do Salão MAKS 2021 ao máximo “fechando 13 contratos de exportação para fornecer produtos de defesa russos no valor de mais de 1 bilhão de euros, paralelamente ao show aéreo.” O portfólio de pedidos da empresa e os planos de produção de empreendimentos de defesa após o evento incluirão o caça Sukhoi Su-30, helicópteros Mi-35M e Mi-17B5, radares Protivnik-GE, míssil superfície-ar (SAM) Verba, além de armas aéreas modernas, veículos blindados e automotivos, afirmou o executivo ao portal. 

O chefe da exportadora também disse que pelo menos cinco países teriam interesse em adquirir o caça de quinta geração Sukhoi Su-57 Felon, afirmando que a Rússia já estaria em negociações. O país também ofertou 21 caças MiG-29 Fulcrum à Força Aérea Indiana.

Sukhoi SU-57- Foto: © Sergei Bobylev /TASS

DEIXE UMA RESPOSTA